O Fórum da Baixada promoverá Confraternização e eleição da nova Diretoria e Conselho Fiscal

O Fórum da Baixada promoverá Confraternização e eleição da nova Diretoria e Conselho Fiscal

A votação será realizada no espaço do Restaurante Picuí Tábua de Carne, localizado Av. Daniel de La Touche, 1040 – Cohama – São Luís – MA, às 18:00 horas do dia 7 de dezembro de 2021 (terça-feira). A eleição para a Diretoria Executiva e Conselho Fiscal será realizada por votação direta e secreta para um mandato de 2 (dois) anos. Na mesma ocasião será realizada a Confraternização de Final

A Diretoria Executiva é o órgão de representação da Sociedade em Defesa da Baixada Maranhense, eleita simultaneamente com o Conselho Fiscal, e será constituída do Presidente, primeiro Vice-Presidente, segundo Vice-Presidente, Primeiro e Segundo Secretários e Primeiro e Segundo Tesoureiros. O Conselho Fiscal é constituído por 3 (três) membros efetivos e seus respectivos suplentes.

As chapas que concorrerão à eleição serão compostas para todos os cargos previstos no Estatuto e poderão ser registradas até 72 (setenta e duas) horas antes da data do pleito, mediante comunicação à Sociedade em Defesa da Baixada Maranhense e em 24 (vinte e quatro) horas antes da data da eleição, deverá ser dada publicidade sobre a composição de todas as chapas inscritas, conforme Edital abaixo:

 

Fórum da Baixada parabeniza a Rádio e TV Maracu pelos seus 31 anos

PARABÉNS À RÁDIO E TV MARACU POR MAIS UM ANO DE RELEVANTES SERVIÇOS PRESTADO AO MARANHÃO, ESPECIALMENTE À BAIXADA MARANHENSE.

Nós, que compomos o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), somos testemunha e orgulha-nos tê-la como parceira que sempre está de portas e braços abertos para difundir as nossas mensagens e que tanto tem estado junto nessa nobre missão de comunicar-se com todos, de forme democrática e universal.

Nossa homenagem, reconhecimento, e gratidão a todos que fazem com competência, responsabilidade e compromisso desse poderoso veículo de comunicação.

Em nome do seu Diretor BENITO, parabenizamos todos.

Expedito Moraes

1º Vice Presidente do FDBM

URGENTE: O Campus de São Bento da UEMA oferece o Curso de Tecnologia em Fruticultura

URGENTE: O Campus de São Bento da UEMA oferece o Curso de Tecnologia em Fruticultura

A Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) – campus São Bento/MA está oferecendo o curso superior de TECNOLOGIA EM FRUTICULTURA.

O curso será presencial, com três anos de duração. Com áreas de atuação: 1) Pesquisa e Desenvolvimento; 2) Projeto junto a Produtores e 3) Cadeia Produtiva da Fruticultura.

O acesso será via Vestibular PAES. https://www.paes.uema.br/

O curso de Tecnologia em Fruticultura visa à formação de profissionais qualificados para atuarem na cadeia produtiva da fruticultura. Dessa forma, a Universidade visa contribuir e estimular o desenvolvimento da economia regional. Os profissionais dessa área estarão habilitados para planejar, projetar, gerenciar e executar empreendimentos voltados para a produção de frutas. Eles também podem elaborar e executar projetos agrícolas que compreendem a implantação, cultivo, produção, colheita e pós-colheita de frutas. Além disso, podem fiscalizar, elaborar relatórios e pareceres sobre o controle de qualidade, classificação e certificação de frutas. Podem ainda fazer vistorias, realizar perícia, avaliar, emitir laudo e parecer técnico em sua área de formação, entre outras atribuições.

O período para solicitação de isenção já iniciou: 22/11/2021 a 17/12/2021.

As informações foram fornecidas pelo Diretor do Curso, o Pós-doutor em Agroecologia, Prof. Dr. Augusto César Vieira Neves Junior e Prof. Dr. José Ribamar Gusmão Araújo, doutor em Agronomia (Horticultura) e Fruticultura da UEMA e membro do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense, responsável técnico pelo Projeto Bosques da Baixada.

Parteira Dadá de São João Batista completa 99 anos de idade

Parteira Dadá de São João Batista completa 99 anos de idade

EUGÊNIA MENDES CÂMARA, carinhosamente chamada Dadá. Nasceu no dia 13 de novembro de 1922, no povoado Enseada dos Bezerros, São João Batista-MA.

Filha de Raimunda Nonata Mendes e pai desconhecido, situação comum naquela época em que as mães solteiras não tinham os filhos reconhecidos pelos pais, pois não existiam leis que os obrigasse reconhecê-los.

A segunda dos sete filhos de Raimunda, relacionados a seguir: Maria de Lourdes (Lulu), Eugênia (Dadá), Levi, Belízia (Belinha), Julião, Miriam e José Manoel.

Dadá passou parte da sua infância, no povoado onde nasceu, com sua mãe e sua avó Cândida que era o referencial familiar dos netos.

Sua origem humilde não foi obstáculo para tentativas de uma vida melhor. Queria estudar, mas não era possível porque não havia escolas naquele lugar e, estudar era privilégio dos himens, uma vez que, as mulheres eram educadas para ser donas de casa. Deveriam aprender a cuidar dos filhos e do marido.

Aos 7 anos, veio para São Luís onde morou com sua tia e madrinha Ângela Araújo, no bairro Sítio do Meio, sendo matriculada na Escola Modelo Benedito Leite, cursando até a 3ª série do antigo ensino primário, porém, seu currículo foi preenchido por si própria: um vasto conhecimento do mundo, sua universidade foi a própria vida.

Aos 21 anos conheceu o jovem João Câmara no bairro Diamante, avistando-o normalmente. No entanto, aquele jovem vindo de São Vicente Férrer para prestar contas com o Serviço Militar, procurou se informar sobre o endereço daquela senhorita para enviar-lhe uma Carta, pedindo-a em namoro. A carta foi recebida pelo tio Matias Araújo que ao lê-la buscou informação sobre o autor da mesma e, depois de algumas formalidades familiares, autorizou o namoro, pois o seu futuro marido era um homem de tradicional família de São Vicente Férrer, a família Marques Câmara, vinda da Ilha da Madeira – Portugal, a qual teve um ancestral que, por determinação da Coroa portuguesa fixou-se no município de Peri-Mirim-MA.

Após um ano de namoro, Dadá casou-se com João Câmara e desse casamento nasceram dez filhos: Carlos Alberto, Sônia, Edna, Dalva, João, Flor de Maria, Apolinária, Jomar, Anilde e Váldina.

Supermãe! Além de seus dez filhos, adotou e criou outras crianças, educando-as sem fazer distinção entre os seus filhos biológicos.

Sempre preocupada com a educação dos filhos, foi capaz de desempenhar com muita sabedoria os papéis de mãe, professora e, às vezes, psicóloga, tendo como base os princípios da ética e da honestidade: valores imprescindíveis para a boa formação do ser humano.

Em 1956, mudou-se, com toda a família, para São Vicente Férrer, lugar onde seu esposo nasceu, permanecendo lá por quatro anos.

No início de 1960, a fim de que seus filhos pudessem estudar, resolveu fixar residência em São João Batista. Logo que chegou no município, a primeira providência a ser tomada foi sair em busca de escolas para matricular seus filhos, porém, conseguiu organizar, em sua própria casa, uma escolinha com duas salas de aula multisseriado, contando com a ajuda de um representante político, partido PTB, o Sr. Procópio Meireles, que remunerava duas professoras alfabetizadoras: Violeta Meireles e Maria Souza Coelho. A escola foi denominada de Escola Trabalhista Brasileira.

Em São João Batista desenvolveu várias atividades, tais como: professora alfabetizadora, costureira e parteira, mas a sua maior dedicação, durante vinte anos (1960-1980), foi o trabalho de parteira. Este trabalho tornou-se tão intenso que era necessário sair de casa às altas horas da noite, transportada em canoas ou a cavalos, meios de transportes da época, para prestar atendimento a mulheres em povoados distantes.

Prestava também atendimento, em sua própria residência, às gestantes que iam verificar a posição do bebê, bem como, receber orientações acerca da gravidez e do parto.

A fim de uma melhor qualificação para o trabalho, Dadá fez um estágio na maternidade Benedito Leite, em São Luís, no final dos anos 60.

Conquistou, em São João Batista, a amizade da população e das autoridades locais, nutrindo com todos um bom relacionamento.

Mulher religiosa e movida pela fé, construiu com a ajuda de três amigas, uma igreja católica – Igreja Nossa Senhora Aparecida, no bairro Paulo VI, existente ainda hoje.

Seu retorno a São Luís, concretizou-se em 1980, residindo no Conjunto Vinhais até os dias atuais, sendo visitada diariamente por pessoas amigas e conterrâneos.

Aos 99 anos, ainda lúcida e com tanta experiência de vida, é capaz de orientar seus filhos, netos e bisnetos. Faz tudo o que é possível para manter a família sempre unida, comemorando aniversários e outras datas festivas com almoços e jantares.

Com grande satisfação repete em suas conversas diárias: … tenho dez filhos, vinte netos e dezesseis bisnetos! …

Mulher extrovertida, de temperamento assumidamente forte, determinada, mas generosa. Sente-se feliz e abençoada por Deus porque criou seus filhos, orientando-os a fim de que alçassem seus próprios voos. Uma sensação de dever cumprido!

Sua imagem engrandece seus familiares, seu exemplo de vida dignifica seus filhos, dignificará, também, suas futuras gerações!

Biografia de autoria de sua filha Apolinária Câmara.

REUNIÃO DO VICE-GOVERNADOR e o FÓRUM DA BAIXADA

REUNIÃO DO VICE-GOVERNADOR e o FÓRUM DA BAIXADA

Na tarde desta segunda-feira, 12 de julho, o Vice-Governador, Carlos Brandão, acompanhado do chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, recebeu membros da Diretoria do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM). A reunião contou com a participação do Presidente do FDBM, João Martins, (que solicitou o agendamento); dos vice-presidentes Expedito Moraes e Antônio Valente e da Presidente de Honra, Ana Creusa; dos forenses Eduardo Castelo Branco, Secretário de Agricultura de Anajatuba, e Eliseu Silva, Presidente da Associação de Piscicultores de Itans.

O Vice-Governador deu as boas-vindas aos participantes da reunião. Discorreu sobre o potencial econômico da Baixada, especialmente para a produção de alimentos e outros projetos de desenvolvimento que beneficiarão a população da região. Falou sobre o exemplo de Itans, que é prova viva de que os empreendimentos, uma vez incentivados pelo Poder Público, têm tudo para prosperar.

O Chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, lembrou da necessidade de implantação de uma Agência de Desenvolvimento da Baixada, bem como viabilizar parceria entre a Universidade Estadual e dos Institutos Estaduais de Educação.

O Presidente do FDBM, João Martins, discorreu sobre a necessidade de um amplo esforço do Estado e Gestores Municipais das duas regiões para potencializar as grandes oportunidades naturais existentes na promoção de investimentos em produção agrícola e turística. Exaltou a enorme carência de conhecimento, tecnologia e incentivo aos pequenos e médios empreendedores. O Presidente da Associação de Itans, Elizeu Silva, solicitou a manutenção da Estrada do Peixe e enfatizou a necessidade de uma máquina para auxiliar na escavação e manutenção de tanques para os associados.

O objeto da reunião proposto, então, foi da elaboração de um Plano de Desenvolvimento da Baixada e Litoral Ocidental que apresente resultados imediatos capazes de melhorar o índice de qualidade de vida na região.

A estratégia consiste em envolver o governo estadual, os consórcios de prefeitos, classe política; IEMAS, UEMA, UFMA. Os polos de produção (a exemplo de ITANS), técnicos, etc. e implantar uma Agência de Desenvolvimento da Baixada para coordenar o processo que contemple as seguintes ações:

Barragem de Maria Rita; barragens de enseadas; manutenção da Estrada do Peixe; linhas de crédito a pequenos e médios empreendedores e agricultores; diques da Baixada; acesso ao processo Licitatório do Ferry Boat, barragem do rio Maracu etc.

A diretoria do Fórum definirá agenda para o próximo mês visitar as duas regiões, contemplando por exemplo, a nova Uema, Ufma, Consórcios de Prefeitos e alguns locais da região onde deverão ocorrer algumas obras.

O Vice-Governador ressaltou a necessidade de mais encontros dessa natureza, para que sejam discutidos projetos de natureza prática, que muitos já existem, necessitando apenas de ajustes, para refletir a realidade atual.

Carlos Brandão recebeu dos forenses o livro Ecos da Baixada, Comprometeu-se a ler para conhecer melhor a Baixada. Ao final da reunião, o Vice-governador fez questão de gravar um vídeo, no qual transmite uma mensagem otimista comprometendo-se com o desenvolvimento da Baixada.

Superintendente da Codevasf recebe membros do Fórum em Defesa da Baixada

Superintendente da Codevasf recebe membros do Fórum em Defesa da Baixada

Nesta segunda-feira, dia 05 de julho, membros do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) reuniram-se, na sede da 8ª Superintendência da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para tratar de assuntos ligados aos DIQUES DA BAIXADA.

Pelo FDBM participaram da reunião, o presidente João Martins e os vice-presidentes Expedito Moraes e Antônio Valente e pela Codevasf, o superintendente Regional, Celso Adriano Costa Dias, e os engenheiros: Julimar e Gustavo.

João Martins foi  muito bem recebido na sua antiga casa por todos os funcionários. A conversa com o Superintendente e técnicos foi para demonstrar o desejo dos forenses em em acompanharem na região o andamento dos estudos das obras dos Diques da Baixada. Foi agendado uma próxima reunião em Brasília.

O superintendente Celso Dias publicou em suas redes sociais o encontro.

O Fórum da Baixada parabeniza Elizeu Gomes pela eleição à presidência da Associação de Piscicultores de Itans

O Fórum da Baixada parabeniza Elizeu Gomes pela eleição à presidência da Associação de Piscicultores de Itans

O presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), em nome de todos os forense, parabeniza Elizeu Gomes Silva  pela sua eleição à presidência da Associação de Piscicultores do Povoado de Itans (APPI), bem como deseja uma gestão com sabedoria e muitos resultados para a comunidade de Itans, município de Matinha e para todo Maranhão. 

A eleição correu ontem, 12 de junho. Elizeu foi eleito à presidência da APPI, para biênio 2021-2023, juntamente com seu vice-presidente, Adilson de Jesus Silva. Narlon Silva, vice-prefeito de Matinha que presidia a entidade, fez a transmissão do cargo à nova diretoria eleita.

Elizeu tem grandes desafios pela frente, um deles é dar continuidade ao empreendimento de sucesso em Itans e oferecer soluções criativas para o futuro. O empreendimento que agora preside vive dias de prosperidade e se tomou exemplo para Maranhão. O milagre ocorrido em Itans é fruto da criação do polo de piscicultura que vem transformando a vida de pequenos agricultores que antes sofriam para cultivar lavouras de subsistência, em cidadãos cujo a melhoria da qualidade de vida é notável.

Na oportunidade, o FDBM parabeniza a todos os piscicultores que contribuíram para o sucesso que serve de exemplo para todo estado e para o país e que, com a eleição de Elizeu deve continuar e aperfeiçoar uma iniciativa que está dando certo. Parabéns.

Fonte Blog de Jaílson Mendes e informações dos forenses.

RELATO DA REUNIÃO DA DIRETORIA DO FÓRUM EM DEFESA DA BAIXADA MARANHENSE – FDBM OCORRIDA EM  18/10/2017

Reunião presidida por Nélio Júnior, secretariado por Ana Creusa, foram discutidos os seguintes itens e respectivas deliberações

1) Ata da Reunião anterior, ocorrida em 30/08/2017 – lida e aprovada;

2) Exposição sobre a viagem a Bacurituba e Cajapió, acompanhando a Codevasf na área de inserção dos Diques da Baixada. O forense Expedito relatou que durante a expedição ocorreram reuniões nos municípios de Bacurituba e Cajapió. Em Bacurituba a reunião aconteceu na sede da Prefeitura com a presença de vereadores, secretários municipais, técnicos da Codevasf e FDBM, este representado pelos forenses Expedito Moraes e Antônio Valente.

• Em Bacurituba, o prefeito não estava presente à reunião porque estava em São Luís, mas fez a convocação de seus auxiliares e Câmara de Vereadores.

• Em Cajapió ocorreu com a presença do Prefeito Marcone, a reunião foi bastante proveitosa, inclusive com a presença da maioria dos secretários municipais e vereadores.

Foram dois dias de expedição. Na saída de Cajapió, como os técnicos da Codevasf teriam que visitar os municípios de Arari e Anajatuba, os expedicionários convidaram os técnicos para ver uma produção de arroz irrigado em Cajari, a fim de que constatassem a viabilidade do projeto em outras regiões da Baixada.

Ressaltou o expedicionário que a proposta da Codevasf não se prende exclusivamente à construção da estrutura e benefícios específicos como: contenção da entrada da água salgada nos campos e nem tampouco na retenção da água doce proveniente de chuvas, mas sim de um plano de desenvolvimento por meio de outras intervenções. Por isso, os expedicionários procuraram mostrar a viabilidade da região para construção de canais que conservem a água, bem como atividades de piscicultura, meliponicultura, caprinos e atividades ligadas à agricultura em geral.

Relatou que encaminhou à Codevasf os projetos de arranjos produtivos para a Baixada, disponibilizados pelo Sebrae ao FDBM pelo Superintendente, João Martins e dos canais de Anajatuba, disponibilizados pelo forense Eduardo Castelo Branco.

Armando Costa ressaltou a necessidade da participação das comunidades desde a concepção dos projetos e que algumas comunidades, que estavam na concepção original do projeto dos Diques da Baixada, foram excluídas e que as comunidades já tinham conhecimento desse fato e que estavam pedindo esclarecimentos.

Expedito lembrou que apenas podemos pedir a participação popular após os estudos técnicos e de impacto ambiental, para não gerar expectativas que não poderão ser cumpridas.

Chico Gomes fez breve relato de algumas obras de contenção de água doce na região de Viana, de baixo custo e grande impacto social e econômico. Ficou decidido que ambos: Armando Costa e Chico Gomes comporão o Projeto do Fórum para os Disques da Baixada, cujo gestor é Alexandre Abreu e que marcarão uma reunião para tratar especificamente desse tema, inclusive para agendar expedições às áreas de inserção dos Diques da Baixada e que a primeira expedição deve ocorrer antes do dia 15 de dezembro.

 3) Análise para estabelecer parcerias com algumas instituições, como: AHINOR, CODEVASF, SEBRAE, UFMA, UEMA, Secretarias e outras.

Ficou decidido que o Fórum proporá a celebração dos convênios de cooperação técnica aos órgãos e instituições que tenham atuação nas áreas de interesse.

4) Informes sobre recadastramento dos forenses
Ana Creusa informou aos presentes que a 1ª Secretária, Elinajara Pereira, já concluiu as planilhas com todos associados ao Fórum, faltando apenas alguns contatos para atualização e verificação do cumprimento das obrigações estatutárias.

5) Análise sobre o futuro das Câmaras Temáticas
Nélio discorreu sobre a necessidade de reavaliar a subsistências das Câmaras Temáticas, vez que não estão funcionando a contento. Ana Creusa falou que a proposta atual do Fórum é trabalhar com projetos, a saber: Diques da Baixada, Academias na Baixada, Ecos da Baixada, Turismo na Baixada, Projeto do IHGB e Apoio Institucional, os quais tem gestores, que são os líderes que se destacam naturalmente na atividade.  Foi decidido, por unanimidade, que as Câmaras Temáticas deverão ser extintas, faltando examinar a forma adequada de extinção, de acordo com o Estatuto Social.

6) Informes sobre o lançamento da obra Ecos da Baixada
Foi solicitado a Gracilene Pinto que falasse sobre o assunto, esta, após destacar e elogiar o Projeto e a atuação de seu gestor, o Presidente de Honra do Fórum Flávio Braga, informou que o lançamento da obra será na AABB no dia 14 de novembro e que todos os forenses devem divulgar. Leonardo Cardoso expôs algumas dificuldades de ordem financeira. Expedito e Chico Gomes ficaram de estudar algumas maneiras de solicitar apoio institucional ao projeto.

7) Confraternização do Fórum – ano 2017
Nélio avisou que José Maria Braga conseguiu na AABB que a Confraternização seja realizada no dia 15 de dezembro, uma sexta-feira. Foi decidido que Ana Creusa e Nélio Júnior reunir-se-ão para tratar dos detalhes da confraternização, bem como pediram apoio de todos. Nessa data deverão ser homenageados os aniversariantes do segundo semestre e entregues algumas comendas a forenses que se destacaram durante o ano.

8) Outros assuntos
8.1) Nélio informou que dia 19/10/2017 estará na Igreja da Matriz em Viana, para garantir que relíquias históricas sejam preservadas e que irá defender que as obras sejam remanejadas para o Museu de Arte Sacra, para fins de preservar o patrimônio histórico e cultural. Foi aprovado que ele represente o FDBM nesse Evento;

8.2) Manoel Barros: a) discorreu sobre a importância de Graça Leite de Pinheiro, com a obra “Lá Vem Elas”; levantar a grande produção literária e científica de baixadeiros e/ou sobre a Baixada; b) convidou o Fórum para visitar o Laboratório de Arqueologia da UFMA e c) convidou os forenses para o lançamento do livro de Pollyanna Gouveia Mendonça Muniz, de Viana, que ocorrerá no dia 23/10/2017 na AMEI.
8.3) Ana Creusa informou que o livro Serões da Baixada Maranhense, de Gracilene Pinto será lançado no dia 26/11/2017 na AMEI.

A Baixada tem pressa!

Fórum em Defesa da Baixada Maranhense, 18 de outubro de 2017.

A Associação dos Filhos e Amigos de Cururupu pede providências urgentes e cabíveis para regularizar os serviços de Ferry Boat

A Associação dos Filhos e Amigos de Cururupu pede providências urgentes e cabíveis para regularizar os serviços de Ferry Boat

A entidade civil,  por meio de Representação, solicitou  à Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Público do Maranhão (MOB) que sejam adotadas providências urgentes e cabíveis no sentido de regularizar a situação dos serviços, assegurando a integridade à vida de todos os cidadãos  que utilizam os serviços portuários de ferry boats.

A Associação dos Filhos e Amigos de Cururupu (AFAC) justificou o seu pedido, pois representa a população dos municípios de Cururupu, Guimarães, Alcântara, Bequimão, Central do Maranhão, Cedral, Porto Rico, Mirinzal, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum  Açú, que integram a microrregião do Litoral Ocidental Maranhense, que utilizam o serviço portuário de ferry boats para travessia da Baía de São Marcos, com trajeto São Luís–Cujupe e Cujupe-São Luís.

No documento a AFAC destacou que, apesar de anunciada por diversas vezes o processo de Licitação para que outras empresas possam explorar os serviços com qualidade, tal fato ainda não se concretizou e que os ferry boats são muito antigos, já possuindo vida útil bastante comprometida e que o incêndio ocorrido em uma das embarcações no último domingo (6) deixou os usuários desse transporte em estado de alerta, pois o acidente poderia ter ocorrido em alto mar, podendo atingir características de tragédia.

Por fim, a entidade reitera providências cabíveis e enérgicas por parte do Poder Público. O documento foi assinado pelo Presidente da entidade, Dr. Paulo Silvestre Avelar Silva e pelo Assessor Jurídico, Dr. Francisco Sales da Costa Filho.

DIQUES DA BAIXADA: Codevasf acompanha os estudos de Impacto Ambiental para construção da obra

DIQUES DA BAIXADA: Codevasf acompanha os estudos de Impacto Ambiental para construção da obra

No início de abril, o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) solicitou aos companheiros informações sobre o nível das águas nos campos. A pergunta era para dar uma resposta aos técnicos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF) que consultaram a instituição devido a uma tomada de posição da empresa contratada para fazer o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) dos Diques da Baixada, pois a empresa estava alegando que tinha informações que os campos já estavam secando.

Sabe-se que o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) são fundamentais para realização dos Diques da Baixada, pois são documentos técnicos multidisciplinares com objetivo de realizar avaliação ampla e completa dos impactos ambientais significativos e indicar as medidas mitigadoras correspondentes e que deveria ser feito nos períodos de cheia e seca na Baixada Maranhense.

Expedito Moraes, vice-presidente do FDBM, recebeu as informações de que o campo ainda estava cheio. As informações foram repassadas aos técnicos da CODEVASF. Entretanto, logo em seguida, recebeu informação que empresa não viria, até porque já tinha material suficiente para elaborar os relatórios.

A obra dos Diques da Baixada é considerada a redenção social e econômica para os municípios da Baixada Maranhense.  Com recursos garantidos pelo Senador Roberto Rocha, a Codevasf já contratou e concluiu a cartografia, a conclusão dos levantamentos de impactos ambientais deverão ser concluídos até fevereiro do ano que vem, deixando tudo pronto para a conclusão do projeto executivo e finalmente execução da importante obra aguardada pelos baixadeiros há mais de três décadas.