REUNIÃO DO VICE-GOVERNADOR e o FÓRUM DA BAIXADA

REUNIÃO DO VICE-GOVERNADOR e o FÓRUM DA BAIXADA

Na tarde desta segunda-feira, 12 de julho, o Vice-Governador, Carlos Brandão, acompanhado do chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, recebeu membros da Diretoria do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM). A reunião contou com a participação do Presidente do FDBM, João Martins, (que solicitou o agendamento); dos vice-presidentes Expedito Moraes e Antônio Valente e da Presidente de Honra, Ana Creusa; dos forenses Eduardo Castelo Branco, Secretário de Agricultura de Anajatuba, e Eliseu Silva, Presidente da Associação de Piscicultores de Itans.

O Vice-Governador deu as boas-vindas aos participantes da reunião. Discorreu sobre o potencial econômico da Baixada, especialmente para a produção de alimentos e outros projetos de desenvolvimento que beneficiarão a população da região. Falou sobre o exemplo de Itans, que é prova viva de que os empreendimentos, uma vez incentivados pelo Poder Público, têm tudo para prosperar.

O Chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, lembrou da necessidade de implantação de uma Agência de Desenvolvimento da Baixada, bem como viabilizar parceria entre a Universidade Estadual e dos Institutos Estaduais de Educação.

O Presidente do FDBM, João Martins, discorreu sobre a necessidade de um amplo esforço do Estado e Gestores Municipais das duas regiões para potencializar as grandes oportunidades naturais existentes na promoção de investimentos em produção agrícola e turística. Exaltou a enorme carência de conhecimento, tecnologia e incentivo aos pequenos e médios empreendedores. O Presidente da Associação de Itans, Elizeu Silva, solicitou a manutenção da Estrada do Peixe e enfatizou a necessidade de uma máquina para auxiliar na escavação e manutenção de tanques para os associados.

O objeto da reunião proposto, então, foi da elaboração de um Plano de Desenvolvimento da Baixada e Litoral Ocidental que apresente resultados imediatos capazes de melhorar o índice de qualidade de vida na região.

A estratégia consiste em envolver o governo estadual, os consórcios de prefeitos, classe política; IEMAS, UEMA, UFMA. Os polos de produção (a exemplo de ITANS), técnicos, etc. e implantar uma Agência de Desenvolvimento da Baixada para coordenar o processo que contemple as seguintes ações:

Barragem de Maria Rita; barragens de enseadas; manutenção da Estrada do Peixe; linhas de crédito a pequenos e médios empreendedores e agricultores; diques da Baixada; acesso ao processo Licitatório do Ferry Boat, barragem do rio Maracu etc.

A diretoria do Fórum definirá agenda para o próximo mês visitar as duas regiões, contemplando por exemplo, a nova Uema, Ufma, Consórcios de Prefeitos e alguns locais da região onde deverão ocorrer algumas obras.

O Vice-Governador ressaltou a necessidade de mais encontros dessa natureza, para que sejam discutidos projetos de natureza prática, que muitos já existem, necessitando apenas de ajustes, para refletir a realidade atual.

Carlos Brandão recebeu dos forenses o livro Ecos da Baixada, Comprometeu-se a ler para conhecer melhor a Baixada. Ao final da reunião, o Vice-governador fez questão de gravar um vídeo, no qual transmite uma mensagem otimista comprometendo-se com o desenvolvimento da Baixada.

Superintendente da Codevasf recebe membros do Fórum em Defesa da Baixada

Superintendente da Codevasf recebe membros do Fórum em Defesa da Baixada

Nesta segunda-feira, dia 05 de julho, membros do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) reuniram-se, na sede da 8ª Superintendência da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) para tratar de assuntos ligados aos DIQUES DA BAIXADA.

Pelo FDBM participaram da reunião, o presidente João Martins e os vice-presidentes Expedito Moraes e Antônio Valente e pela Codevasf, o superintendente Regional, Celso Adriano Costa Dias, e os engenheiros: Julimar e Gustavo.

João Martins foi  muito bem recebido na sua antiga casa por todos os funcionários. A conversa com o Superintendente e técnicos foi para demonstrar o desejo dos forenses em em acompanharem na região o andamento dos estudos das obras dos Diques da Baixada. Foi agendado uma próxima reunião em Brasília.

O superintendente Celso Dias publicou em suas redes sociais o encontro.

O Fórum da Baixada parabeniza Elizeu Gomes pela eleição à presidência da Associação de Piscicultores de Itans

O Fórum da Baixada parabeniza Elizeu Gomes pela eleição à presidência da Associação de Piscicultores de Itans

O presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), em nome de todos os forense, parabeniza Elizeu Gomes Silva  pela sua eleição à presidência da Associação de Piscicultores do Povoado de Itans (APPI), bem como deseja uma gestão com sabedoria e muitos resultados para a comunidade de Itans, município de Matinha e para todo Maranhão. 

A eleição correu ontem, 12 de junho. Elizeu foi eleito à presidência da APPI, para biênio 2021-2023, juntamente com seu vice-presidente, Adilson de Jesus Silva. Narlon Silva, vice-prefeito de Matinha que presidia a entidade, fez a transmissão do cargo à nova diretoria eleita.

Elizeu tem grandes desafios pela frente, um deles é dar continuidade ao empreendimento de sucesso em Itans e oferecer soluções criativas para o futuro. O empreendimento que agora preside vive dias de prosperidade e se tomou exemplo para Maranhão. O milagre ocorrido em Itans é fruto da criação do polo de piscicultura que vem transformando a vida de pequenos agricultores que antes sofriam para cultivar lavouras de subsistência, em cidadãos cujo a melhoria da qualidade de vida é notável.

Na oportunidade, o FDBM parabeniza a todos os piscicultores que contribuíram para o sucesso que serve de exemplo para todo estado e para o país e que, com a eleição de Elizeu deve continuar e aperfeiçoar uma iniciativa que está dando certo. Parabéns.

Fonte Blog de Jaílson Mendes e informações dos forenses.

RELATO DA REUNIÃO DA DIRETORIA DO FÓRUM EM DEFESA DA BAIXADA MARANHENSE – FDBM OCORRIDA EM  18/10/2017

Reunião presidida por Nélio Júnior, secretariado por Ana Creusa, foram discutidos os seguintes itens e respectivas deliberações

1) Ata da Reunião anterior, ocorrida em 30/08/2017 – lida e aprovada;

2) Exposição sobre a viagem a Bacurituba e Cajapió, acompanhando a Codevasf na área de inserção dos Diques da Baixada. O forense Expedito relatou que durante a expedição ocorreram reuniões nos municípios de Bacurituba e Cajapió. Em Bacurituba a reunião aconteceu na sede da Prefeitura com a presença de vereadores, secretários municipais, técnicos da Codevasf e FDBM, este representado pelos forenses Expedito Moraes e Antônio Valente.

• Em Bacurituba, o prefeito não estava presente à reunião porque estava em São Luís, mas fez a convocação de seus auxiliares e Câmara de Vereadores.

• Em Cajapió ocorreu com a presença do Prefeito Marcone, a reunião foi bastante proveitosa, inclusive com a presença da maioria dos secretários municipais e vereadores.

Foram dois dias de expedição. Na saída de Cajapió, como os técnicos da Codevasf teriam que visitar os municípios de Arari e Anajatuba, os expedicionários convidaram os técnicos para ver uma produção de arroz irrigado em Cajari, a fim de que constatassem a viabilidade do projeto em outras regiões da Baixada.

Ressaltou o expedicionário que a proposta da Codevasf não se prende exclusivamente à construção da estrutura e benefícios específicos como: contenção da entrada da água salgada nos campos e nem tampouco na retenção da água doce proveniente de chuvas, mas sim de um plano de desenvolvimento por meio de outras intervenções. Por isso, os expedicionários procuraram mostrar a viabilidade da região para construção de canais que conservem a água, bem como atividades de piscicultura, meliponicultura, caprinos e atividades ligadas à agricultura em geral.

Relatou que encaminhou à Codevasf os projetos de arranjos produtivos para a Baixada, disponibilizados pelo Sebrae ao FDBM pelo Superintendente, João Martins e dos canais de Anajatuba, disponibilizados pelo forense Eduardo Castelo Branco.

Armando Costa ressaltou a necessidade da participação das comunidades desde a concepção dos projetos e que algumas comunidades, que estavam na concepção original do projeto dos Diques da Baixada, foram excluídas e que as comunidades já tinham conhecimento desse fato e que estavam pedindo esclarecimentos.

Expedito lembrou que apenas podemos pedir a participação popular após os estudos técnicos e de impacto ambiental, para não gerar expectativas que não poderão ser cumpridas.

Chico Gomes fez breve relato de algumas obras de contenção de água doce na região de Viana, de baixo custo e grande impacto social e econômico. Ficou decidido que ambos: Armando Costa e Chico Gomes comporão o Projeto do Fórum para os Disques da Baixada, cujo gestor é Alexandre Abreu e que marcarão uma reunião para tratar especificamente desse tema, inclusive para agendar expedições às áreas de inserção dos Diques da Baixada e que a primeira expedição deve ocorrer antes do dia 15 de dezembro.

 3) Análise para estabelecer parcerias com algumas instituições, como: AHINOR, CODEVASF, SEBRAE, UFMA, UEMA, Secretarias e outras.

Ficou decidido que o Fórum proporá a celebração dos convênios de cooperação técnica aos órgãos e instituições que tenham atuação nas áreas de interesse.

4) Informes sobre recadastramento dos forenses
Ana Creusa informou aos presentes que a 1ª Secretária, Elinajara Pereira, já concluiu as planilhas com todos associados ao Fórum, faltando apenas alguns contatos para atualização e verificação do cumprimento das obrigações estatutárias.

5) Análise sobre o futuro das Câmaras Temáticas
Nélio discorreu sobre a necessidade de reavaliar a subsistências das Câmaras Temáticas, vez que não estão funcionando a contento. Ana Creusa falou que a proposta atual do Fórum é trabalhar com projetos, a saber: Diques da Baixada, Academias na Baixada, Ecos da Baixada, Turismo na Baixada, Projeto do IHGB e Apoio Institucional, os quais tem gestores, que são os líderes que se destacam naturalmente na atividade.  Foi decidido, por unanimidade, que as Câmaras Temáticas deverão ser extintas, faltando examinar a forma adequada de extinção, de acordo com o Estatuto Social.

6) Informes sobre o lançamento da obra Ecos da Baixada
Foi solicitado a Gracilene Pinto que falasse sobre o assunto, esta, após destacar e elogiar o Projeto e a atuação de seu gestor, o Presidente de Honra do Fórum Flávio Braga, informou que o lançamento da obra será na AABB no dia 14 de novembro e que todos os forenses devem divulgar. Leonardo Cardoso expôs algumas dificuldades de ordem financeira. Expedito e Chico Gomes ficaram de estudar algumas maneiras de solicitar apoio institucional ao projeto.

7) Confraternização do Fórum – ano 2017
Nélio avisou que José Maria Braga conseguiu na AABB que a Confraternização seja realizada no dia 15 de dezembro, uma sexta-feira. Foi decidido que Ana Creusa e Nélio Júnior reunir-se-ão para tratar dos detalhes da confraternização, bem como pediram apoio de todos. Nessa data deverão ser homenageados os aniversariantes do segundo semestre e entregues algumas comendas a forenses que se destacaram durante o ano.

8) Outros assuntos
8.1) Nélio informou que dia 19/10/2017 estará na Igreja da Matriz em Viana, para garantir que relíquias históricas sejam preservadas e que irá defender que as obras sejam remanejadas para o Museu de Arte Sacra, para fins de preservar o patrimônio histórico e cultural. Foi aprovado que ele represente o FDBM nesse Evento;

8.2) Manoel Barros: a) discorreu sobre a importância de Graça Leite de Pinheiro, com a obra “Lá Vem Elas”; levantar a grande produção literária e científica de baixadeiros e/ou sobre a Baixada; b) convidou o Fórum para visitar o Laboratório de Arqueologia da UFMA e c) convidou os forenses para o lançamento do livro de Pollyanna Gouveia Mendonça Muniz, de Viana, que ocorrerá no dia 23/10/2017 na AMEI.
8.3) Ana Creusa informou que o livro Serões da Baixada Maranhense, de Gracilene Pinto será lançado no dia 26/11/2017 na AMEI.

A Baixada tem pressa!

Fórum em Defesa da Baixada Maranhense, 18 de outubro de 2017.

A Associação dos Filhos e Amigos de Cururupu pede providências urgentes e cabíveis para regularizar os serviços de Ferry Boat

A Associação dos Filhos e Amigos de Cururupu pede providências urgentes e cabíveis para regularizar os serviços de Ferry Boat

A entidade civil,  por meio de Representação, solicitou  à Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Público do Maranhão (MOB) que sejam adotadas providências urgentes e cabíveis no sentido de regularizar a situação dos serviços, assegurando a integridade à vida de todos os cidadãos  que utilizam os serviços portuários de ferry boats.

A Associação dos Filhos e Amigos de Cururupu (AFAC) justificou o seu pedido, pois representa a população dos municípios de Cururupu, Guimarães, Alcântara, Bequimão, Central do Maranhão, Cedral, Porto Rico, Mirinzal, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum  Açú, que integram a microrregião do Litoral Ocidental Maranhense, que utilizam o serviço portuário de ferry boats para travessia da Baía de São Marcos, com trajeto São Luís–Cujupe e Cujupe-São Luís.

No documento a AFAC destacou que, apesar de anunciada por diversas vezes o processo de Licitação para que outras empresas possam explorar os serviços com qualidade, tal fato ainda não se concretizou e que os ferry boats são muito antigos, já possuindo vida útil bastante comprometida e que o incêndio ocorrido em uma das embarcações no último domingo (6) deixou os usuários desse transporte em estado de alerta, pois o acidente poderia ter ocorrido em alto mar, podendo atingir características de tragédia.

Por fim, a entidade reitera providências cabíveis e enérgicas por parte do Poder Público. O documento foi assinado pelo Presidente da entidade, Dr. Paulo Silvestre Avelar Silva e pelo Assessor Jurídico, Dr. Francisco Sales da Costa Filho.

DIQUES DA BAIXADA: Codevasf acompanha os estudos de Impacto Ambiental para construção da obra

DIQUES DA BAIXADA: Codevasf acompanha os estudos de Impacto Ambiental para construção da obra

No início de abril, o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) solicitou aos companheiros informações sobre o nível das águas nos campos. A pergunta era para dar uma resposta aos técnicos da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (CODEVASF) que consultaram a instituição devido a uma tomada de posição da empresa contratada para fazer o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) dos Diques da Baixada, pois a empresa estava alegando que tinha informações que os campos já estavam secando.

Sabe-se que o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e seu respectivo Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) são fundamentais para realização dos Diques da Baixada, pois são documentos técnicos multidisciplinares com objetivo de realizar avaliação ampla e completa dos impactos ambientais significativos e indicar as medidas mitigadoras correspondentes e que deveria ser feito nos períodos de cheia e seca na Baixada Maranhense.

Expedito Moraes, vice-presidente do FDBM, recebeu as informações de que o campo ainda estava cheio. As informações foram repassadas aos técnicos da CODEVASF. Entretanto, logo em seguida, recebeu informação que empresa não viria, até porque já tinha material suficiente para elaborar os relatórios.

A obra dos Diques da Baixada é considerada a redenção social e econômica para os municípios da Baixada Maranhense.  Com recursos garantidos pelo Senador Roberto Rocha, a Codevasf já contratou e concluiu a cartografia, a conclusão dos levantamentos de impactos ambientais deverão ser concluídos até fevereiro do ano que vem, deixando tudo pronto para a conclusão do projeto executivo e finalmente execução da importante obra aguardada pelos baixadeiros há mais de três décadas.

O NOSSO PRETO DOEGNES!

O NOSSO PRETO DOEGNES!

Por Elizeu Cardoso*

Para quem não o conheceu.

A primeira vez em que vi Doegnes, foi ali num palco do Fesmap, cantando “Mamãe eu tô com uma vontade louca de ver o dia sair pela boca”, clássico de César Teixeira, no disco Bandeira de Aço. A minha irmã Ducarmo Cardoso me arrastava sempre para esses eventos culturais, onde fui conhecendo os artistas da minha cidade. Fiquei paralisado ao vê-lo soltar a aquela voz tão bonita e rara, que todo pinheirense reconhece como a alma da nossa cidade. Uma África tão nossa, amalgamada nos tambores, carnavais e bumba-meu-boi do Maranhão. Depois o reconheci frequentando a nossa casa, só então descobri que ele e Ducarmo eram parceiros na música desde a escola Anchieta.

Um dia aconteceu algo inexplicável, um milagre diante de mim, ainda com olhos e ouvidos de menino. Ele chegou numa bicicleta em nossa casa e entregou uma letra que Gico havia compilado do livro As Veias Abertas da América Latina, do intelectual uruguaio Eduardo Galeano. Ducarmo, compositora que é, foi olhando e compondo ali mesmo, sem instrumento algum. Logo, estavam ensaiando, os dois decidindo partes e vozes, numa das músicas mais bonitas que já ouvi. Parceiros perfeitos!

Quando cresci me tornei compositor e a nossa relação se estreitou. Bastava pisar em Pinheiro, e lá estávamos reunidos em cantorias e boemias, lá por casa, bares e na beira do rio Pericumã. Num desses encontros, Tontom que era anfitrião e cinegrafista, achou de gravar no seu quintal um momento em que Doegnes se mostra em plenitude. Com um balde na mão entoa a toada Batalhão do Amor, do meu irmão Abraão Cardoso. Um canto que emociona todo mundo que assiste, e ao fim se derrama em seus bordões e brincadeiras, como era de sua alma, música e alegria como uma coisa só. “Urubu levou a chave”! E explodimos em gargalhadas.

Estávamos preparando uma gravação para o dia 13 de maio deste ano, em homenagem ao Festival Ginga Zé Macaco, quando a sua família realiza o maior festival de tambor-de-crioula do Maranhão, mas a pandemia adiou este encontro. Há poucos anos, aproveitando que todos estávamos nessa data por lá, o seu irmão Gilmar, idealizou o Tributo à Doegnes, sempre no dia anterior, 12 de maio. Na última edição, já com o dia clareando na praça do Centenário, sem ninguém querer dormir, ele sorrindo me disse: Meu preto, nós vamos ter que mudar essa data, que assim não tem quem aguente. Todo ano a gente amanhece, e hoje ainda tem o festival!

Doegnes é um ícone para o Maranhão, na dimensão de mestre da cultura popular, que se sentia à vontade numa festança de tambor-de-crioula, num bumba-meu-boi, numa roda de samba, ou num palco diante de uma multidão no carnaval. É daqueles artistas em qualquer lugar em que estivesse, emocionava. Com a corda na cintura, esmurrando um tambor grande, e soltando a voz, a gente compreendia mais facilmente como a arte é necessária aos homens. De onde vinha aquela voz? A transcendência do canto e das mãos? A ginga de tantas ancestralidades, numa cantorias de muitos povos que para cá vieram, nos ensinamentos do pai Zé Macaco e tantos outros.

Em qualquer lugar do mundo, um pinheirense hoje guardará a tua presença, pois não será fácil a tua despedida tão inesperada e breve. A cidade chora, o Pericumã desce mais lento, os campos perdem um pouco do verde, e o azul do céu fica mais pálido. Mas sabemos que vai para um lugar melhor, e a vida que escreveu diante de tanta gente, só nos tornou melhores e mais alegres. A grandeza de alguém está em como chega às outras pessoas, e tu tão bem sabia chegar para nunca mais partir.

Imagino meu preto, tu chegando no céu. São Benedito de braços abertos, numa roda de tambor, com teu o pai Zé Macaco, Dona Catarina, Venâncio, Coisinha, e tantos mestres da cultura te recebendo, e tu pronunciando alegre aquele teu Oiiiiiiiiiiiiiiiiiii! Que beleeeezaaaa! Depois, já com a corda na cintura e sentado no tambor grande, dá aquela gargalhada que Deus te emprestou e que agora recebe.

Vá em paz, meu preto, mas tu continua na gente para sempre porque a tua música e a tua simplicidade, te fazem uma luz na eternidade!!!

Elizeu Cardoso, professor, músico, compositor, poeta e escritor.

Fórum da Baixada participa de reunião para viabilizar a reconstrução da Barragem de Maria Rita

Fórum da Baixada participa de reunião para viabilizar a reconstrução da Barragem de Maria Rita
A reconstrução da barragem faz parte de um conjunto de reinvindicações prioritárias apresentadas  pelo FDBM e  que consta nas páginas 10 e 11 da Cartilha do Fórum da Baixada, publicada em 2015.
Na última sexta-feira (16), o Presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), João Martins, que também é prefeito de Bequimão, participou de reunião com representantes do Governo do Estado do Maranhão e com os prefeitos de Peri Mirim, Heliezer Soares; a prefeita de Bacurituba, Letícia de Sibá; e o vice-prefeito de Alcântara, Nivaldo Araújo, representando o prefeito Padre William. Dino Penha, prefeito de São Bento, justificou sua ausência, pois encontrava-se em agenda de trabalho em São Luís.
O encontro teve como objetivo viabilizar a conclusão da construção da Barragem de Maria Rita, que possui 12 km de extensão e beneficia diretamente os municípios de São Bento, Palmeirândia, Peri-Mirim e Bequimão.
Durante a reunião, os gestores municipais da região assinaram um documento conjunto, solicitando a construção dos seis quilômetros restantes da estrutura ao Estado e a manutenção dos seis quilômetros já construídos pela Prefeitura de Bequimão, com recursos próprios, na administração do ex-prefeito Zé Martins.
O ofício foi endereçado ao secretário de Estado da Agricultura Familiar, Rodrigo Lago, foi entregue ao seu secretário adjunto, Ivaldo Rodrigues. Nele, o Consórcio da Barragem de Maria Rita ressalta a importância da obra para cerca de dois mil agricultores que vivem da pesca, do plantio e da criação de animais na região.
Pleito antigo, a conclusão da Barragem de Maria Rita é defendida pelo prefeito João Martins desde os tempos em que esteve à frente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).
Atualmente, na condição de prefeito de Bequimão e presidente do FDBM, o gestor municipal segue empreendendo esforços dentro do movimento de articulação entre os prefeitos da região e o Governo do Maranhão.
João Martins destaca que: “com a primeira etapa concluída, já observamos resultados positivos. A barragem permitiu que a água permanecesse por mais tempo nos campos e evitou a temida salinização. É evidente a importância dessa obra para a nossa região e para a subsistência de milhares de famílias, que retiram o seu sustento dos campos inundáveis”
Também participaram da reunião que tratou da conclusão da construção da Barragem de Maria Rita o vice-prefeito de Bequimão, Sidney Nogueira (Magal); o Secretário Adjunto de Radiodifusão do Estado e diretor geral da Rádio Timbira, Robson Paz; e o ex-vereador do município e articulador politico do Governo do Estado na região, Fredson Pereira.
A barragem concluída deve beneficiar cerca de três mil famílias de agricultores familiares da região, que vivem da pesca, do plantio e da criação de pequenos animais, como porcos, galinhas e patos. A junção dos prefeitos, instituições e agentes do Governo do Estado, indicam que a obra vai ser concluída.
Fonte Tribuna de Bequimão.

MORRE BELARMINO GOMES, UM GRANDE VIANENSE

MORRE BELARMINO GOMES, UM GRANDE VIANENSE

Autor Nonato Reis*

O meu afeto por Belarmino Gomes vem de muito longe. É uma mistura de respeito, carinho e gratidão. Lembro do dia em que, ainda menino, o meu pai chegou em casa todo feliz, avisando que os nossos dias de dificuldade estavam contados. Fora Belo – assim todos o conheciam – quem lhe dera a notícia. Meu pai, que tivera um braço amputado por conta de uma terrível gangrena, cumpria os requisitos para aposentadoria pelo recém-criado Funrural (Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural).

Belarmino era então o responsável pela administração da seção municipal do Funrural, e coube a ele dar início ao processo de aposentadoria do meu pai, que foi, afinal, deferida dois anos depois, dando ao velho o direito à percepção de meio salário mínimo por mês. Com o dinheiro retroativo dos dois anos de tramitação do processo, ele pôde enfim construir uma casinha em alvenaria, em substituição ao casebre de tábuas e palha de babaçu em que morávamos.

A partir dali nascia em mim um sólido reconhecimento por Berlarmino Gomes, mesmo a distância e de forma anônima. Contato com ele eu só passei a ter depois que comecei a assinar uma coluna aos domingos no Jornal Pequeno, e da qual ele se tornou leitor assíduo.

Anos depois, fui apresentado a ele durante uma festa de aniversário do advogado Pedro Leonel, em Viana. Qual não foi a sua surpresa ao saber que o jornalista que escrevia os seus textos preferidos era filho do Renato, lá do Ibacazinho.

Entre surpreso e feliz, pegou-me pelo braço e me apresentou a sua esposa Rosa Maria, procuradora aposentada, também ela minha leitora de carteirinha. Não esqueço as suas palavras de apresentação a dona Rosa. “Olha, Rosa, este é o Nonato Reis, que escreve no Jornal Pequeno. Ele é filho de Renato, aquele que só tem um braço e morava no Ibacazinho”.

Ali começava uma amizade simples e verdadeira. No lançamento do meu primeiro livro “Lipe e Juliana”, vibrei de emoção ao ver os dois perfilados nas primeiras filas do auditório da Livraria AMEI. Veio o segundo livro, A Saga de Amaralinda, e lá estavam eles no Café Literário do Multicenter Sebrae.

Um dia fiz-lhes uma visita em sua casa no Calhau, e dona Rosa, pegando-me pelo braço, levou-me para conhecer a sua biblioteca, com uma seção só de escritores vianenses. Disse-me, apontando um espaço: “Tá vendo ali, são todos os teus livros”.

Cerca de dois meses atrás fui à agência do Banco do Brasil, no Renascença, e, ao fazer uma operação no autoatendimento, dei com a mão de Belo nos meus ombros. Feliz e preocupado, chamei-lhe a atenção. “Belo, o que você faz aqui? Isto é perigoso, você não deve se expor. Vá para casa, meu amigo!”. Como que caído em si mesmo, concordou comigo e prometeu ir logo embora.

Semanas depois, fui informado que ele lutava contra a Covid em um hospital de São Luís. Passei a acompanhar seu estado de saúde diariamente, por meio dos seus parentes. Chegou a dar sinais de recuperação, e isso me encheu de esperanças. Hoje, porém, fui atingido com a notícia do seu falecimento. Quase sem palavras, só me ocorre dizer, “que pena!”.

Deus, que é todo-sabedoria e todo-bondade, receba a sua alma em sua infinita misericórdia e conforte o coração dos seus entes queridos. Belo foi grande na Terra, porque soube ser humilde e humano.

* Nonato Reis é natural de Viana. Jornalista, poeta e escritor. Foi correspondente em São Luís da Folha de São Paulo em 1993 e colunista do Jornal Pequeno, no período de 2011 a 2017.

FERRY-BOAT: Fórum da Baixada participa de Audiência Pública realizada pela MOB

FERRY-BOAT: Fórum da Baixada participa de Audiência Pública realizada pela MOB

Na tarde desta quinta-feira, dia 18 de março de 2021, a convite do seu Presidente da Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos (MOB), Daniel Carvalho, o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) participou de Audiência Pública, promovida pela MOB.

Por conta da pandemia, a audiência pública foi realizada on line por meio do aplicativo Teams. A referida audiência tratou sobre a licitação do serviço de Ferry-Boat no Estado do Maranhão, bem como a disponibilização de melhorias urgentes nesse serviço de grande relevância para os maranhenses.

Participaram do evento mais de 30 (trinta) pessoas, incluindo várias autoridades, entre elas: o Vice-Governador do Estado, Carlos Brandão; a Deputada Estadual, Thaíza Hortegal; a Promotora de Justiça, Lítia Cavalcanti; o Juiz de Direito, Douglas Martins; a Diretora do Procon, Karen Barros; o Capitão dos Portos; o Diretor dos Terminais Externos da Emap, Ted Lago; o Secretário Adjunto da SEFAZ, Magno Vasconcelos; o membro da Comissão de Direito Marítimo da OAB, Najla, entre outras.

Pelo FDBM participaram os forenses: Ana Creusa, Elinajara Pereira, Expedito Moraes e Ribeiro Júnior. Alguns forenses assistiram ao evento pelo Canal do Youtube, disponibilizado pela MOB.

O Vice-Governador iniciou a reunião, cumprimentando os participantes. Discorreu sobre as obras realizadas nos terminais de passageiros, que visaram dar mais conforto aos usuários e que agora se encara os desafios da licitação, construir um edital adequado às necessidades dos serviços. Por fim, afirmou que a Baixada é prioridade para o Governo.

A Promotora de Justiça do Consumidor, Lítia Cavalcante, falou sobre a luta empreendida pelo Ministério Público, com a finalidade de melhorias nos serviços de ferry-boat.

A Deputada Estadual Thaíza Hortegal também falou sobre a importância do serviço para a população da Baixada e Karen Barros do Procon falou do sofrimento da população usuária dos serviços.

Posteriormente, foram facultadas as inscrições para manifestações, as quais seriam realizadas após a apresentação do Presidente da MOB, Daniel Carvalho.

Na apresentação, Daniel Carvalho, apresentou considerações sobre a nova proposta de Licitação para Concessão do Serviço Público de Transporte Aquaviário Intermunicipal de Passageiros, Cargas e Veículos de Navegação Marítima entre o Terminal Marítimo Ponta da Espera e o Terminal Marítimo do Cujupe no Estado do Maranhão, que consta no Processo Administrativo nº 031522/2021, que está disponível no sistema e-processo do Governo do Estado.

A proposta contempla vários itens, como: Redução do valor da outorga, proporcionando que os valores arrecadados retornem ao sistema como investimento e melhorias; Idade média da frota, prevendo idade máxima das embarcações; Renovação da frota e previsão de novas embarcações; Melhoria e conforto das cabines de passageiros; Isolamento acústico nas casas de máquinas; Manutenções preventivas; Melhoria no sistema de venda antecipada (fim do sistema misto); Aumento dos pontos de vendas, entre outras.

Após a apresentação, o Presidente da MOB franqueou a palavra aos inscritos. Expedito Moraes do FDBM foi o primeiro a usar da palavra. Após os cumprimentos de praxe, ele discorreu sobre a luta dos baixadeiros e demais usuários dos serviços de Ferry Boat. Lembrou de outros eventos que o Fórum já participou, sempre reivindicando melhorias no serviço que, até o momento, não foram realizadas e que tem esperança que o processo licitatório se realize. Lembrou que os serviços nos tempos de pandemia foram reduzidos, mas que essa demanda reprimida virá, tão logo essa fase crítica amenize, mas que necessita de planejamento, para que não haja colapso do sistema. Solicitou providências referente ao embarque e desembarque de passageiros e carros, para que ambos sejam feitos em momentos diferentes.

O representante do FDBM ainda falou sobre algumas sugestões apresentadas pelos forenses que estavam assistindo à audiência pelo Youtube, como: o alcance internacional do edital, tempo máximo de viagem, menor intervalo entre as viagens, antecipação do horário de viagens e conforto dos passageiros. Estas últimas indagações foram realizadas pelo Dr. Gusmão, Prof. da UEMA e Gestor do Projeto Bosques na Baixada do FDBM.

Mais alguns participantes se manifestaram, como o Capitão dos Portos que lembrou que a manutenção preventiva das embarcações é fundamental. Hugo Veiga, Secretário-Adjunto do Turismo falou que é necessário que tenham mais postos de vendas à disposição dos usuários. Que estão em estudo a efetivação de terminal de vendas em Pinheiro e no Povoado Três Marias, em Peri-Mirim.

Lítia Cavalcante disse que já visitou o local e que considera adequada a instalação do Posto de Vendas no Povoado de Três Marias, pois se trata de uma confluência de estradas que ligam alguns municípios. Karen Barros do Procon, lembrou que os Vivas podem ser utilizados como postos de vendas, bastando que se instale o sistema.

Após a manifestação de todos os inscritos, o Presidente da MOB, Daniel Carvalho, encerrou a reunião, declinando o nome de todos os participantes e despediu-se com a costumeira delicadeza.

O FDBM agradece o convite e renova a esperança de que os serviços do Ferry Boat sejam melhorados, pois sem eles funcionando adequadamente, não se pode falar em desenvolvimento da Baixada, Litoral Ocidental e Noroeste do Estado; muito menos falar-se em turismo, que seria um eixo propulsor de trabalho.