Os campos altos de Viana. Produção e proteção ambiental

Lago de Viana/Maranhão/Brasil

Autor Chico Gomes*

Os campos altos de Viana, região dos tesos,  são formados por dois ecossistemas que devem ser protegidos ambientalmente. O ecossistema de água doce e ecossistema de água salgada do mar.

Através dos ciclos das marés, o mar está invadindo quilômetros de campos de água doce,  salinizando e destruindo a vegetação e o habitat de diversas espécies de aves, peixes e outros animais e até as moradias das famílias como aconteceu no povoado de Coivaras tragado pelas marés.

O ecossistema de água salgada formado pelos manguezais,  abriga um berçário de vida, devendo ser intocável e preservado. Aí encontramos o habitat de caranguejos, siris, camarão,  diversas espécies de peixes, aves migratórias que fazem ali a sua reprodução, abelhas silvestres e, milagrosamente,  a florada do mangue branco onde abelhas nativas buscam o néctar das flores para produção de mel em suas colmeias,  uma verdadeira riqueza. Calcula-se atualmente  uma produção de cem toneladas de mel por safra.

Para recuperar quilômetros de campos salinizados temos que buscar o equilíbrio entre os dois ecossistemas identificando as intervenções necessárias para promover tal equilíbrio.

Conhecedor desses campos desde a minha adolescência,  considero indispensável a construção de diques de proteção e de barragens nas interfaces, iniciando-se logo abaixo de Coivaras, fechando um profundo fosso aberto pelo mar, por onde as marés penetram salinizando os campos de água doce.

Fechado esse fosso, as barragens devem partir desse dique com quilômetros de extensão,  sempre construídas na interface entre os dois ecossistemas , promovendo-se assim o equilíbrio almejado.

Assim poderemos pensar num projeto para promover em nossos campos um verdadeiro  celeiro de produção de alimentos,  explorando equilibradamente os dois ecossistemas e melhorando significativamente a renda de todas as famílias que habitam nestes campos.

Lago Aquiri entre Viana e Matinha
Imagem do período de estiagem na Baixada.

*Chico Gomes é natural de Viana (MA). Bacharel em Filosofia pela UFMA. Servidor público estadual aposentado. Foi por duas vezes Secretário de Estado e por duas vezes Deputado Estadual. Foi Prefeito de Viana. É anistiado político.

Fotos do Lago de Viana e Aquiri, compartilhados por Ribeiro Júnior em grupos do Fórum da Baixada.

De Roça e Capoeira

De Roça e Capoeira

Autor Expedito Moraes *

Era outubro de 2013, verão brabo, era a terceira vez que eu visitava várias enseadas de campo da Baixada. Passei por Gameleira em direção a Regalo e Luizinho, povoados de CAJARI do lado esquerdo do Rio Pindaré.

O engenheiro e o fotógrafo que me acompanhavam tinham estado lá no mês de março quando o campo estava cheio d’água e, sobre os balcedos e tripas de vaca, havia muitas garças, socós e jaçanãs; pelo pasto verdinho o gado gordo; dentro das lagoas os búfalos só com as cabeças de fora ruminando; à beira do campo, os cabocos carregando cofos de peixes enfiados no mará ou remo sobre os ombros. Jovens e senhoras com suas tarrafas, caniços, socós e puçás já tinham àquela hora garantido a boia.

Em quase todo quintal havia uma rocinha de milho, mandioca, um feijãozinho; pés de maxixe, de melancia esparramados pelo chão; no terreiro e debaixo do jirau, galinhas e catraios mariscavam; alguns cabritos espalhados pelas moitas, os porcos fuçando tudo e os patos passeando pelas águas. Este era o cenário do mês de março para abril, o fotógrafo tinha se apaixonado pelo lugar, tirou centenas de fotos era uma pequena mostra de um paraíso ecológico.

Chegávamos agora em outubro, 6 meses depois. Pedi para o motorista parar no mesmo lugar que tínhamos parado em março. Todos desceram, ou melhor, apiaram. Disse: este é o mesmo lugar que vocês se apaixonaram. Espanto!!! O fotógrafo, depois de olhar prá todo lado, vira-se pra mim e diz: – daquilo tudo que tinha aqui só restou esse casebre?

É assim. Somente pode contar essas histórias quem é Baixadeiro. Naquele dia sai dali com a alma aturdida e um profundo sentimento de impotência. Antes de dormir naquele noite pedi a Deus que me permitisse conhecer outras pessoas dispostas a lutar pela redenção da Baixada, e pela vida desses conterrâneos.

Deus sempre nos ouve quando a causa é nobre. Na semana seguinte houve uma reunião na Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e Agricultura Familiar-SEDES onde o assunto eram as Barragens de Enseadas. Nessa reunião conheci Flavio Braga, que logo depois criou o Fórum da Baixada, mas já não estava sozinho. De lá pra cá cresceu, virou Sociedade de Defesa da Baixada Maranhense, já é gente grande.
E como gosta de dizer a Forense Ana Creusa, Avante Baixada.

* Expedito Nunes Moraes é natural do povoado Cachoeira em Cajari (MA). Graduado em Administração (UEMA). Foi deputado estadual entre 1995 a 1997 e empresário da construção civil. Exerceu vários cargos na administração pública do Maranhão. Presidente de Honra do Fórum da Baixada (gestão 2016/2017); 1º Vice Presidente (gestão 2019/2021) e presidente em exercício.

Promotores de Justiça promoverão Audiência Extrajudial sobre as condições dos serviços prestados pelo Ferry-boat

Promotores de Justiça promoverão Audiência Extrajudial sobre as condições dos serviços prestados pelo Ferry-boat

A Coordenadora do Centro de Apoio Operacional do Consumidor do Ministério Público do Estado do Maranhão, Lítia Cavalcanti, INFORMA que foi designada para segunda-feira (21/09) às 9 horas da manhã, na sede das promotorias, uma AUDIÊNCIA EXTRAJUDICIAL com as operadoras de Ferry Boat e a Agência Estadual de Transporte e Mobilidade Urbana (MOB).

A audiência será transmitida pelo Google Meet (https://meet.google.com/svb-htyi-xrx) e tem por finalidade discutir, mais uma vez, os serviços prestados pelas operadoras de Ferry-Boat, bem como o tratamento com os usuários/consumidores, e o descompasso com Termo de Ajuste de Conduta (TAC) já firmado e a legislação vigente.

Essa articulação está sendo promovida pelo Centro de Apoio Operacional do Consumidor (CAOPCONSUMIDOR) e a Coordenadora Regional de Pinheiro, Promotora Linda Luz. Pela relevância do tema, a presença dos promotores das comarcas da região da Baixada Maranhense é fundamental.

Considerando-se que o público alvo da audiência é a MOB, Internacional Marítima, Serviporto, Promotores do Consumidor e sociedade em geral, é fundamental que os baixadeiros e usuários dos ferry-boats em geral assistam à audiência acessando a audiência, sintonizando no endereço: https://meet.google.com/svb-htyi-xrx

Com participação do Magnífico Reitor, o Grupo de Trabalho UFMA/FDBM retoma agenda de trabalho

Com participação do Magnífico Reitor, o Grupo de Trabalho UFMA/FDBM retoma agenda de trabalho

No início da noite desta quarta-feira (16/09), a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) deram prosseguimento à Agenda de Trabalho iniciadas em novembro de 2019 e interrompida em fevereiro de 2020, de acordo com as normas sanitárias estabelecidas para controle da pandemia da Covid-19. A reunião se deu por meio da plataforma virtual Google Meets.

Os representantes da Universidade foram Josefa Melo e Sousa Bentivi Andrade, Saulo Ribeiro dos Santos, Li Chang Shuen Cristina Silva, Marcos Fábio Belo Matos e o magnífico reitor Natalino Salgado Filho e do Fórum Expedido Nunes Moraes, Antônio Lobato Valente e Ana Creusa Martins dos Santos; definiram posições, premissas e ações que irão consolidar, de modo concreto, esta parceria. Nesta reunião três assuntos foram intensamente debatidos e dado encaminhamentos:

  1. tratativas para elaboração do Termo de Cooperação Técnica entre a UFMA e o FDBM;
  2. criação do Polo de Empreendedorismo Rural da Baixada;
  3. construção de um Plano de Desenvolvimento da Baixada e Reentrâncias Maranhenses e
  4. definição e convocação de parceiros.

Para elaborar e aprovar o Plano de Desenvolvimento da Baixada e Reentrâncias Maranhenses e instalar o Polo de Empreendedorismo Rural da Baixada a ideia é criar um ambiente que envolva todos os seguimentos existentes no Território destas regiões. Para isto, deverão ser organizados vários eventos nos municípios culminando com um grande FORUM. 

Esses eventos contarão com a participação de todos os órgãos que formarão o Grupo de Trabalho. Pensa-se na realização de um Seminário sobre Turismo e Alimentação. E neste será estudada a implantação do Curso de Engenharia de Pesca no Polo da UFMA de Pinheiro.

Outros assuntos correlatos foram debatidos, como:

  • ampliação das parcerias com os governos Federal, Estadual e Municipais e com os diversos órgãos e entidades públicas e privadas;
  • eventos culturais e promoção da gastronomia baixadeira e costeira; 
  • os estaleiros artesanais de Cururupu;
  •  existência de inventário cultural de Cururupu e
  •  fazer parceria com o Consórcio dos Guarás.

Com participação do Magnífico Reitor, UFMA e Fórum da Baixada debatem projetos para a Baixada Maranhense

Com participação do Magnífico Reitor, UFMA e Fórum da Baixada debatem projetos para a Baixada Maranhense

No início da noite de ontem, quarta-feira (16/09), a Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense reuniram-se por meio da plataforma virtual Google Meets. Representando a Universidade, participaram Josefa Melo e Sousa Bentivi Andrade, Saulo Ribeiro dos Santos, Li Chang Shuen Cristina Silva, Marcos Fábio Belo Matos e o magnífico reitor Natalino Salgado Filho. O Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) foi representado por Expedido Nunes Moraes, Antônio Lobato Valente e Ana Creusa Martins dos Santos.

No dia 13 de fevereiro houve uma reunião presencial do Grupo de Trabalho UFMA-FDBM na sala da Pró-reitoria de Extensão e Pesquisa, Zefinha Bentivi, após os debates, foram definidas as prioridades de demandas e alinhamento das premissas para a construção de um plano de desenvolvimento viável para Baixada e Reentrâncias Maranhenses, com a finalidade de elaboração de um Termo de Cooperação Técnica entre a UFMA e o FDBM que contemple três eixos: ambiental, social e econômico (empreendedorismo). A partir daí houve algumas tratativas por telefone e grupo de WhatsApp.

A Pró-reitora Zefinha Bentivi apresentou os participantes pela UFMA e Expedito Moraes apresentou os representantes do FDBM.

A reunião de hoje teve como Pauta: 

a) tratativas para elaboração do Termo de Cooperação Técnica entre a UFMA e o FDBM;

b) criação do polo de empreendedorismo rural da baixada;

c) construção de um plano de desenvolvimento viável para Baixada e Reentrâncias Maranhenses e

d) definição e convocação de parceiros.

O debate foi girou em torno de Plano de Desenvolvimento da Baixada e Reentrâncias Maranhenses e envolvimento de um grande movimento para execução do Plano de Desenvolvimento da Baixada. Esse evento deverá culminar com o Seminário sobre Turismo e Alimentação, instalação do Curso de Pesca, do Polo de empreendedorismo rural da Baixada.

O projeto do empreendedorismo cultural e turístico que também foi discutido na reunião, seria uma exposição ou feira na Baixada e Floresta dos Guaras, envolvendo o Curso da Engenharia de Pesca em Pinheiro.

O magnífico reitor e demais participantes comentaram sobre os estaleiros artesanais de Cururupu, bem como:

– A existência de um termo de Cooperação Técnica da UFMA com outra entidade que pode ser usado como modelo para o Fórum;

– Existência de estudo sobre turismo;

– Implantação de Curso de Pesca na UFMA de Pinheiro;

– Existência de inventário cultural de Cururupu;

– Consórcio dos Guarás como parceiro;

O Professor Saulo falou que tem minuta do Termo de Cooperação Técnica que apresentará para as devidas modificações e que irão buscar apoio do Professor Valter Nunes, que é especialista em empreendedorismo.

O Fórum e a UFMA deverão promover eventos para dar publicidade aos agentes públicos, privados e organismos sociais, culturais sobre a aprovação do Termo de Cooperação Técnica que será celebrado entre as duas entidades.

Academia Perimiriense debate a obra “O Mágico de OZ” com Carol Chiovatto

Academia Perimiriense debate a obra “O Mágico de OZ” com Carol Chiovatto

O Clube de Leitura “João Garcia Furtado da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) é um sucesso. Ontem, (12/09/2020) fizeram uma atividade importante para discutir a obra o Mágico de Oz, com participação da escritora e tradutora de livros da série Mágico de Oz, Carol Chiovatto.

O encontro virtual foi realizado por meio da plataforma Google Meet e foi coordenado pela acadêmica Jessythanya Carvalho Santos que explicou a metodologia do debate, apresentando todos os presentes na sala virtual, bem como fez um breve relato sobre o currículo da escritora, Carol Chiovatto, que é doutoranda (Inglês-USP), escritora, tradutora de obras sobre o Mundo Mágico de OZ, é a autora do livro Porém Bruxa.

Após a apresentação da escritora, a coordenadora do debate passou a palavra à professora Lourdes Campos que fez uma rica apresentação sobre vida e obra do autor do Mágico de OZ, Lyman Frank Baum.

Ato contínuo a convidada iniciou o debate, fazendo considerações interessantes sobre a obra. Em seguida, alunos, acadêmicos e professores discorreram sobre as suas impressões sobre a obra e realizaram perguntas à debatedora que dirimiu as dúvidas dos participantes sobre o papel dos personagens da obra, sobre os valores de capacidade de liderança, perseverança, amizade, coragem, humildade, individualidade, respeito, possibilitando reflexão sobre o contexto histórico e atual sobre a obra em análise.

A debatedora presenteou a ALCAP com algumas obras sobre o maravilhoso Mundo de OZ e a Academia a presenteou-a com as obras Dicionário do Baixadês e Curiosidades Históricas de Peri-Mirim dos acadêmicos Flávio Braga e Francisco Viegas, respectivamente. Houve o sorteio de dois livros entre os alunos inscritos no clube, os contemplados foram Thalys e Emile.

O debate superou as expetativas, possibilitando um novo olhar sobre a obra analisada. Após o encontro, a escritora postou em seu Twitter, o seguinte: “Acabei de falar sobre Oz com alguns alunos no ensino médio e da academia de letras de Peri Mirim (MA) Nada é mais legal, enquanto pesquisadora, do que poder falar da minha pesquisa com uma turma que leu o livro que o originou e está a fim de conversar”.

O Projeto Clube da Leitura da ALCAP está avançado para se tornar referência no estímulo aos jovens e adolescentes no maravilhoso munda da leitura. Quem ainda não leu a obra em apreço, acesse o link e delicie-se com a leitura do: O Mágico de Oz