A Bacia de São Marcos – Parte III

A Bacia de São Marcos – Parte III

Autor Expedito Moraes

A Baia de São Marcos será transformada em poucos anos, num dos maiores pontos de convergência de transação comercial do Planeta. Vários fatores contribuem para isso: profundidade do canal, dragagem natural, logística ferroviária e rodoviária, carga abundante de grãos e minerais, proximidade do continente europeu, América Central, do Norte e Canal do Panamá.

A Baia banha, de um lado a Ilha de São Luís, e de outro a Baixada. Desse lado da Baixada, mais precisamente em Alcântara, planeja-se a transformação da Base de Lançamento de Alcântara em Centro Espacial de Alcântara (CEA) e a implantação do Terminal Portuário de Alcântara (TPA).

Ambos são projetos de grandiosa envergadura e a maioria dos recursos será privado. Serão dois polos que exigem alta tecnologia, com investimentos de bilhões de reais ao longo da implantação. Milhares de empregos diretos e indiretos serão gerados, demandando serviços, produtos e investimentos em toda a Região. Será uma revolução econômica e social. Temos, então, que prever, planejar e agir para superarmos os grandes desafios e nos adequarmos da melhor forma possível para as oportunidades que advirão.

Temos que construir parcerias. O Fórum da Baixada deve exercer o papel de intermediador dessa ação. Algumas parcerias já estão em andamento, caso da CODEVASF, UFMA, SEBRAE; outras estão sendo iniciadas como UEMA, CEA (Centro Espacial de Alcântara), TPA (Terminal Portuário de Alcântara) e Governos Federal, Estadual e Municipais.