Fórum da Baixada participa da solenidade de inauguração da Estrada do Peixe em Matinha

Em 8 de novembro de 2019 20:30

O Presidente, João Martins e o Vice-Presidente, Expedito Moraes do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) participaram hoje (08/11/2019) da inauguração da sonhada Estrada do Peixe no Povoado Itans em Matinha. 

Na oportunidade contaram com a atenção, hospitalidade e gentileza dos forenses Jorge Soeiro e João Silveira de Matinha e Henrique Travassos de Viana que, durante a visita a Itans não mediram esforços para que os representantes da entidade compartilhassem de forma exemplar do evento de inauguração da estrada, do ginásio e da fábrica de gelo pelo Governador do Estado, Flávio Dino e pela Prefeita Linielda.

O FDBM parabeniza todos os atores institucionais envolvidos na organização do evento e em especial aos diretores e associados da Associação dos Piscicultores de Itans.

A Diretoria do FDBM

O Fórum em Defesa da Baixada Maranhense cumprimenta o Dr. Natalino Salgado pela sua nomeação no cargo de Reitor da UFMA

Em 7 de novembro de 2019 23:12

O Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) torna público o seu veemente sentimento de júbilo em relação à nomeação do Dr. Natalino Salgado para o cargo de reitor da Universidade Federal do Maranhão.

O nosso intenso contentamento se justifica porque o Dr. Natalino, membro fundador do FDBM, é um dos homens públicos mais honrados, respeitados e talentosos do estado do Maranhão.

As duas gestões anteriores do Dr. Natalino Salgado, entre 2007 e 2015, celebrizaram-se pelo timbre da boa gestão e eficiência administrativa.

O seu estilo de empreendedor arrojado transformou a UFMA em uma das melhores instituições de ensino superior do Brasil.

Assim, ao tempo em aplaudimos a nomeação de Dr. Natalino, reiteramos a nossa plena convicção de que a sua nova gestão à frente da venerável Universidade Federal do Maranhão será notabilizada pela marca da competência administrativa, gestão de excelência e idoneidade moral.

A Diretoria do FDBM

 

A Baixada Maranhense e sua vocação para a grandeza

Em 26 de outubro de 2019 20:48

“Esse horizonte usa um tom de paz”, disse Manoel de Barros, em sua obra “O livro das ignorãças”, ao discorrer poeticamente sobre os fins de tarde no Pantanal. Tomo emprestadas as palavras do poeta para também falar sobre o entardecer da minha sempiterna Cururupu, cenário de tantas boas lembranças de minha infância, e sobre a paisagem da Baixada Maranhense, que não me sai da memória.

Trago à baila esse assunto porque estive em Pinheiro, no início da semana passada, participando da cerimônia de instalação da primeira turma de licenciatura em Educação Física da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), no Campus instalado naquela cidade, evento esse concorridíssimo e que contou com a presença de autoridades municipais, técnicos administrativos, professores e alunos. Àquela ocasião, quarenta estudantes deram o primeiro passo rumo ao tão sonhado diploma de Educação Física. Além da motivação dos estudantes, o curso também inicia com um excelente corpo docente, de vasta experiência profissional. É nossa intenção, com a aprovação do conselho universitário, transformar o Campus de Pinheiro no terceiro centro de ensino dessa Instituição no continente.

A cada ida àquela região, volto com o ânimo renovado por constatar a vontade e a determinação de seus habitantes para o desenvolvimento. Nesse contexto, além das anteriormente referidas, outras iniciativas dignas de elogio estão sendo realizadas, a exemplo do recém-instalado Fórum da Baixada Maranhense. Aqui destaco o papel do advogado Flávio Braga, um dos principais defensores desse projeto.

A Baixada Maranhense compreende 21 municípios, que se distribuem em quase dezoito mil quilômetros quadrados na região noroeste do Estado. Com uma população de mais de 518 mil habitantes (dados de 2006), tem sua economia ancorada no extrativismo, agricultura de subsistência, pesca e pecuária cuja expressão principal é a bubalino-cultura, visto que esses animais se adaptam perfeitamente às condições de grande parte da região, caracterizada por campos inundáveis.

Mas, infelizmente, a economia baseada na exploração de atividades do campo e com escassa aplicação de tecnologia resulta em baixos índices de produtividade e coopera para manter o quadro de pobreza geral, que se expressa em insatisfatórios índices de progresso. Como exemplo disso, temos a cidade de Pinheiro, a principal da microrregião, que exemplifica com bastante acuidade a condição que se perpetua ao longo de décadas. Nessa cidade, o IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal), que avalia a qualidade de vida, como a longevidade, renda e educação da população, é de apenas 0,637, o que representa um crescimento médio. Sobre isso, a dinâmica é a seguinte: quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento. Registre-se que outras cidades do entorno possuem dados semelhantes. O quadro só não é mais desolador por causa do comprometimento de alguns poucos governantes da região que se esforçam para debelar os inúmeros problemas e desafios hercúleos, embalados pela determinação de um povo honesto, cordato e trabalhador.

No entanto, nem tudo é desanimador, pois há na região uma rica diversidade da fauna e flora e o maior conjunto de bacias lacustres do Nordeste. A transição entre o cerrado e a floresta amazônica criou um lugar único de campos dominados pelas águas, particularmente no período chuvoso, que transforma a região com seus rios e lagos num pantanal tão grandioso e exuberante quanto o equivalente mais famoso no Mato Grosso. Aquele cenário que não deixa a desejar a nenhum cartão postal do mundo. Volto a Manoel de Barros, no mesmo livro já citado, ao falar de seu pantanal, de forma modesta: “o mundo meu é pequeno, Senhor. Tem um rio e um pouco de árvores”.

A Baixada Maranhense tem vocação natural para a grandeza. Por isso mesmo, engajada no desafio de tornar essa região ainda melhor e mais próspera, a Universidade Federal do Maranhão (já tivemos a oportunidade de escrever sobre isso noutro momento) faz sua parte: iniciou o que considero um novo ciclo de crescimento. O campus de Pinheiro, que antes funcionava com os cursos interdisciplinares em ciências humanas (com habilitação em História ou Filosofia) e naturais (com habilitação em Biologia), conta hoje com os de Medicina e Enfermagem e, mais recentemente, com o curso de Educação Física, que teve sua aula inaugural no dia 16 (segunda-feira). Essas três últimas graduações atenderão a uma demanda crescente de saúde de qualidade, o que propiciará um efeito catalisador à formação dos profissionais e à produção de conhecimento. E, ainda este ano, no segundo semestre, teremos a honra de iniciar o curso de Engenharia de Pesca em Cururupu, cidade cuja economia está intimamente ligada à pesca marítima.

Deus governa grandezas”, diz Guimarães Rosa pela boca de Riobaldo em “Grande sertão veredas”. O potencial da Baixada Maranhense, somado à fé e à coragem de seu povo, haverá de legar às próximas gerações uma herança de grandes conquistas, pois as esperanças mais incompatíveis podem conviver sem dificuldades, alerta Jorge Luís Borges. Que essas ações em favor daquela região encontrem corações maduros para que as sementes do crescimento e da prosperidade possam gerar bons frutos.

Crônica publicada no Livro Ecos da Baixada, páginas 36/38.

Natalino Salgado Filho

Inicia nesta sexta a Exposição de ovinos e caprinos em São João Batista

Em 2 de outubro de 2019 23:20

A VIII Exposição de Ovinos e Caprinos, promovida pela  Associação dos Produtoras de Ovinos e Caprinos de São João Batista (APPOC), acontecerá no  período de 04 a 06 de outubro do corrente ano.

No ano passado o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) se fez presente, inclusive com a presença da então presidente da entidade, Ana Creusa. Neste ano, segundo o Presidente João Martins, o 1º Secretário, David Cutrim,  representará o FDBM no evento.

O evento será marcado por palestras para alunos da Rede Municipal e Estadual de Ensino de São João Batista, com o zootecnista Nélio Freitas.

No dia 5, um café da manhã será oferecido aos participantes, seguido de palestras com vários profissionais. Enquanto que no dia 6, o evento segue com uma feira da agricultura família, bate-papo sobre o abate e cortes de ovinos e caprinos; palestras, cursos, desfiles de animais e festa de encerramento. 

Este ano, o evento conta com apoio do Governo do Maranhão, por meio da Agerp, Sebrae e da Prefeitura Municipal de São João Batista. De acordo com o superintende Articulação Política Luiz Everton, o secretário de Agricultura Familiar do Governo do Estado, Júlio Mendonça, deve participar da exposição.

Confira a programação completa abaixo:

 

Fonte: Blog de Jaílson Mendes.

João Martins assume a presidência do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense

Em 2 de outubro de 2019 15:45

O presidente eleito possui credenciais para realizar uma gestão eficiente e comprometida com o desenvolvimento sustentável das microrregiões da Baixada e Litoral Ocidental maranhenses. Ele já exerceu funções de destaque, como o cargo de Diretor Superintendente do Sebrae, em que prestou relevantes serviços na área do empreendedorismo e formação de líderes, funções essenciais para progresso do país. João Batista Martins é natural de Bequimão, é sócio fundador do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) e já exerceu o cargo de Presidente de Honra na instituição. Nesta oportunidade, atendendo a pedido dos forenses, João Martins aceitou concorrer ao cargo de Presidente do FDBM.

A eleição da 3ª diretoria do FDBM ocorreu no dia 28/09/2019 no espaço da Livraria AMEI no São Luís Shopping. Durante a solenidade, a então presidente, Ana Creusa, fez os agradecimentos aos forenses pela colaboração, ao tempo em que era exibida no telão uma retrospectiva da gestão que se despedia.  Em seguida foi realizada a eleição, bastante participativa, pois a assembleia saudava com aplausos cada nome anunciado pelo candidato à presidência. 

Os forenses elegeram como presidentes de honra, os dois primeiros presidentes do Fórum, Flávio Braga e Ana Creusa, como demonstração de harmonia e gratidão pelos serviços prestados.

Todos saíram da solenidade com a certeza de que o FDBM está em boas mãos, pois além das credenciais do presidente,  ele ainda conta com uma equipe multidisciplinar e valorosa de forenses, conforme se pode comprovar pela relação abaixo em que consta os eleitos para a Diretoria Executiva e Conselho Fiscal no biênio 2019-2021:

Presidente: João Batista Martins; 1º Vice-Presidente: Expedito Nunes Moraes; 2º Vice-Presidente: Antônio Lobato Valente; Presidente de Honra: Wewman Flávio Andrade Braga; Presidente de Honra: Ana Creusa Martins dos Santos; 1º Secretário: David Dérik Aguiar Cutrim; 2º Secretário: Alexandre Ayrton Muniz de Abreu; 1ª  Tesoureira: Estela Cristina Lima Ribeiro Ferreira; 2ª Tesoureira: Deuzenir Costa Carneiro Szekeresh. Membros Efetivos do Conselho Fiscal: 1) Jaílson Mendes Mota; 2) joão Muniz Silveira e 3) José Ribamar Gusmão Araújo. e Membros Suplentes do Conselho Fiscal: 1) Flaviomiro Silva Mendonça; 2) João Carlos da Silva Costa Leite e 3)Marlilde Mendonça Abreu.

Ana Creusa despede-se da presidência do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense

Em 29 de setembro de 2019 1:52

Mediante discurso reproduzido abaixo, Ana Creusa Martins dos Santos, que ocupou o cargo de Presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), no biênio 2017-2019 deixa o cargo e dá posse à nova diretoria eleita. O FDBM é um exemplo de organização, pautada pelo respeito e amor à Baixada, cujos membros utilizam os seus valores pessoais e profissionais para trabalhar em prol da região. Segue abaixo o discurso:

Boa tarde a todos,

Inicio minhas breves palavras de despedida da Presidência do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) com a frase premonitória de Joãozinho Ribeiro na ocasião da minha aposentadoria do serviço público e que consta no Livro Ecos da Baixada que diz: As pessoas constroem em torno de si seus espaços de existência, com suas singularidades, porém nunca sozinhas. Estas palavras ficaram cunhadas em minha mente e quando recebi o convite para participar do FDBM, não tive dúvidas em aceitar o convite, participei da fundação, fiz parte do corpo da Diretoria, por bondade dos irmãos forenses, nome carinhoso que designamos os componentes do Fórum.

O Fórum estava muito bem, sob a batuta corajosa e decidida do seu idealizador e 1º Presidente, que não pretendia concorrer à reeleição, assim como eu neste momento. Convidou-me a concorrer à eleição para Presidente. Eu, imediatamente, recusei por estar em tratamento de saúde. Pude ver (não sei se somente eu) a tristeza nos olhinhos do amigo.

Estava decidida a não aceitar, ou melhor, não podia! Porém, estava incomodada com a recusa do desafio, que não fazia parte da minha biografia. Nesse processo, pensei em meu pai, que havia falecido naquele ano de 2017. Eu acreditei que ele me aconselharia a aceitar o desafio. Não sei se não era hora de recuar, eu não percebi e aceitei. Tive que pedir licença devido a complicações no tratamento. Depois retornei e continuei o trabalho, cuja retrospectiva vocês estão acompanhando.

Tivemos inúmeras dificuldades, aquelas típicas de sociedades sem fins lucrativos. Tentei implantar a gestão compartilhada. Juntamos as câmaras temáticas em projetos, que são: 1) Academias na Baixada; 2) Bosques na Baixada; 3) Diques da Baixada; 4) Turismo na Baixada e 5) Desenvolvimento Institucional. Mediante portaria foram nomeados os gestores e gestores adjuntos para todos os projetos. Promovemos encontros na Baixada, como em Matinha e a Confraternização em Viana que foi considerada a “Confraternização dos Sonhos”.

Já formam constituídas duas academias sob as diretrizes do FDBM: Matinha e Peri-Mirim e estão em andamento São João Batista e Bequimão, que peço à nova diretoria que dê prioridade, pois levo essa pendência, pois não foi possível avançar, por muitas razões, que não cabe aqui declinar. O projeto Bosques na Baixada renderam o Bosque Paricás em Paricatiua e reserva de uma área em Matinha.

Dentro do projeto Desenvolvimento Institucional, fizemos confraternizações, pré-carnaval para os baixadeiros, vista a municípios e participação em diversos eventos.

O Selo Editorial FDBM já lançou 5 livros: Ecos da Baixada; Serões na Baixada do Maranhão; Na Asa de um Colibri; 2ª Edição de Curiosidades Históricas de Peri-Mirim e 2ª edição do Dicionário do Baixadês.

Conseguimos aprovar a lei municipal e estadual que transporta o FDBM em entidade de utilidade pública.

Agradeço imensa e carinhosamente a Diretoria do FDBM que se despede com a sensação de dever cumprido, apesar de todos os percalços, por nós vivenciados pela nossa gestão. Nossa Gratidão a Deus e a todos os forenses, parceiros e amigos.

Queremos dar as boas-vindas à 3ª Diretoria eleita do FDBM, sob a Presidência de João Batista Martins que considero um presente para o Fórum da Baixada, pois, além do seu exímio preparo técnico é um ser humano especial, agregador e humano que, cuja disponibilidade em aceitar o desafio só pode ser fruto de Oração.

E, como palavra final queremos dizer que “renovar não é destruir, é respeitar os fundamentos”. É com base nesses princípios que o FDBM, apesar da tenra idade, já acumula obras. Primeiro porque constrói suas obras preservando e adaptando as experiências acumuladas. Passaremos todos os documentos à nova Diretoria em data e horário marcados.

Com estas palavras, entrego a direção do FDBM à nova diretoria eleita formada por:

DIRETORIA DO FÓRUM EM DEFESA DA BAIXADA MARANHENSE – Eleita para o Biênio 2019 – 2021

PRESIDENTE: João Batista Martins

1º VICE-PRESIDENTE: Expedito Nunes Moraes

2º VICE-PRESIDENTE: Antônio Lobato Valente

1º PRESIDENTE DE HONRA: Wewman Flávio Andrade Braga

2º PRESIDENTE DE HONRA: Ana Creusa Martins dos Santos

1º SECRETÁRIO: David Dérik Aguiar Cutrim

2º SECRETÁRIO: Alexandre Ayrton Muniz de Abreu

1º TESOUREIRO: Estela Cristina Lima Ribeiro Ferreira

2º TESOUREIRO: Marlilde Mendonça Abreu

CONSELHO FISCAL, MEMBROS EFETIVOS:

Jaílson Mendes Mota

José Ribamar Gusmão Araújo

João Muniz Silveira

CONSELHO FISCAL, MEMBROS SUPLENTES:

Deuzenir Costa Carneiro Szekeresh

João Carlos da Silva Costa Leite

Flaviomiro Silva Mendonça.

Aos quais dou posse e desejo sucesso na gestão. O futuro o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense está em suas mãos. Passo a palavra ao atual Presidente, João Batista Martins, digno Presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense.

O Fórum da Baixada participou de evento promovido pela Academia de Peri-Mirim, com o objetivo de resgatar brincadeiras antigas praticadas na Baixada Maranhense

Em 24 de setembro de 2019 14:59

No último dia 22/09/2019 (domingo), após o encerramento do Festejo de São José, no Povoado Cametá, a Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) promoveu o Resgate de Brincadeiras Antigas, após o sucesso do evento de mesma natureza na comunidade do São Raimundo. 

A Presidente da ALCAP, ao justificar a participação da Academia no evento afirmou que “o resgate das brincadeiras de antigamente ajudam as crianças a aprenderem a se expressar, lidar com os sentimentos, resolver conflitos e respeitar regras e companheiros”.

As brincadeiras selecionadas foram: 1-Torta na cara; 2- Corrida de saco; 3- Pular elástico; 4- Perna de pau/lata; 5- Pião; 6- Bambolê; 7- Amarelinha; 8- Bete; 9- Pata cega; 10- Dança da cadeira; 11- Cabo de guerra; 12- Queimado
13- Corda. Algumas delas não foram realizadas devido ao forte calor e ao avançado da hora.

No início foram formadas duas equipes: Piaba e Piranha, este nome foi contestado por alguns devido à forma pejorativa como o termo é usado. Esse paradigma foi quebrado e as piranhas venceram o torneio. Fato muito bem lembrado por Nita de Jair que insistiu e justificou a escolha do nome.

Durante o intervalo foi servido um delicioso café solidário para a criançada e  adultos que caíram na brincadeira, bem como aos imortais da academia, que deram o exemplo “pagando seus micos”, com diz a garotada.

O café solidário foi marcado de significados e emoções. Os presentes que usaram a palavra iniciando pela Presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), Ana Creusa, enfatizaram a importância para resgatar o espírito de comunidade que já reinou naquele lugar; em que o auxílio em tarefas do campo era constante, desde a feitura de casas e açudes a cuidados domésticos. Ana Campos e seu marido foram muito felizes em suas palavras, enfatizando que o resgate de brincadeiras antigas desperta a solidariedade. Ao final, a Presidente da ALCAP agradeceu e cumprimentou pela participação de todos.

Pela academia estiveram presentes: Eni Amorim, Diêgo Nunes, que dividiu a coordenação do evento com Tatá Martins; Ana Cléres e Ducarmo, como amigas da ALCAP; Jessythanya; Gisele Martins, Ana Creusa e  Ely Campos. Como premiação dos participantes, formam sorteadas cestas básicas, fornecidas pelo Sargento César.

Constata-se que a Academia de Peri-Mirim cumpre o seu papel de ser uma agremiação popular, que atua junto às pessoas, a fim de lhes auxiliar na construção de virtudes, que auxiliarão no desenvolvimento do município, do estado e do país, exatamente dentro dos valores cultivados e repassados pelo Fórum em Defesa da Baixada Maranhense, que justificam, com louvor, o Projeto Academia na Baixada.

UEMA promove a VIII Semana Acadêmica das Ciências Agrárias

Em 12 de setembro de 2019 0:27

Ocorrerá no período de 17 a 20 de setembro, na Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), a VIII Semana Acadêmica das Ciências Agrárias, com o tema “O PROFISSIONAL DAS CIÊNCIAS AGRÁRIAS: Desafios e Perspectivas”, envolvendo os cursos de Agronomia, Engenharia de Pesca, Medicina Veterinária e Zootecnia.

O evento conta com uma programação diversificada, visando o intercâmbio de conhecimentos relacionados com a área das Ciências Agrárias, como complementação extracurricular para os discentes e docentes dos referidos cursos, bem como a interação com docentes de outras universidades, profissionais, empresas e a comunidade em geral, com a visão para as novas tecnologias, a inserção destes no mercado de trabalho e contribuir para a formação ou atualização destes profissionais.

O tema é muito importante para os baixadeiros, pois é sabido que a assistência técnica no campo é fundamental para o desenvolvimento sustentável da Baixada Maranhense; a exemplo de vários arranjos produtivos como hortas comunitárias e nas escolas, criação de peixes, abelhas, ovinos, caprinos e outros. O tema chamou bastante atenção  dos forenses, especialmente dos estudantes de Ciências Agrárias do Instituto Federal de Educação – IFMA/Maracanã, David Cutrim, que é membro da diretoria do Fórum em Defesa da Baixada (FDBM) e Leuzanira Furtado, a Rainha das Expedições do FDBM. 

Destaca-se, ainda, o envolvimento dos gestores do Projeto Bosques na Baixada, os doutores José Ribamar Gusmão Araújo e Jucivan Ribeiro Lopes., que são professores do curso de Agronomia da UEMA.

O FDBM deseja que a VIII Semana Acadêmica das Ciências Agrária seja coroada de êxito.

Mais informações no www.cca.uema.br.

Fonte: https://www.uema.br/2019/07/uema-realiza-a-viii-semana-academica-das-ciencias-agrarias/#prettyPhoto

Dia de Campo na Comunidade de Santa Luzia em Peri-Mirim

Em 28 de agosto de 2019 3:17

O evento será realizado no dia 04 de setembro de 2019, a partir de 7 horas da manhã na Comunidade de Santa Luzia, em Peri-Mirim-MA. A comunidade inclui 10 (dez) famílias de pequenos agricultores que produzem: milho, cebolinha, quiabo, alface, vinagreira, cheiro verde, coentro, melancia, entres outros. A atividade é desenvolvida em parceria com a AGERP – Pinheiro, sob a coordenação do Engenheiro Agrônomo Teresinho Alves, que é natural de Per-Mirim. O trabalho conta com o total apoio do gestor da Agerp – Pinheiro, Rodrigo Belloti e da presidente estadual da Agerp, Loroana Coutinho de Santana.

Agrônomo Teresinho Alves e Daniel, líder da Comunidade

Daniel enfatizou que “antes da intervenção da Agerp, a gente trabalhava como nossos pais e avós, roçando e queimando as árvores, nem se sabia o que era cultivo sustentável, que causava danos ao solo e a produção era pequena. Com as práticas aprendidas, conseguimos melhorias não só para nós, mas para toda a população vizinha que pode olhar e fazer igual”, disse o agricultor, líder comunitário e multiplicador da tecnologia repassada pela Agerp.

Na última segunda-feira (dia 26/08/19), após comunicação com o agrônomo Teresinho, visitaram o local, os representantes da Academia de Letras, Ciências e Artes Perimiriense (ALCAP) e a Presidente do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM).

Representantes da Comunidade, da ALCAP e FDBM

Os visitantes ficaram surpresos com a beleza das verduras e hortaliças, cultivadas com a aplicação de técnicas modernas de agricultura e comprometeram-se em divulgar o evento, a fim de que mais pessoas possam conhecer o brilhante trabalho desenvolvido pela Agerp, o qual está sendo muito bem aceito pelas comunidades, além de estar sendo fator de desenvolvimento e segurança alimentar das pessoas.

O Fórum da Baixada promoverá eleição da nova Diretoria e Conselho Fiscal

Em 19 de agosto de 2019 20:46

Fórum da Baixada em Matinha

A votação será realizada no Espaço Cultural AMEI, no São Luís Shopping, às 15:00h do dia 28 de setembro de 2019 (sábado). A eleição para a Diretoria Executiva e Conselho Fiscal será realizada por votação direta e secreta para um mandato de 2 (dois) anos., conforme Edital.

A Diretoria Executiva é o órgão de representação da Sociedade em Defesa da Baixada Maranhense, eleita simultaneamente com o Conselho Fiscal, e será constituída do Presidente, primeiro Vice-Presidente, segundo Vice-Presidente, Primeiro e Segundo Secretários e Primeiro e Segundo Tesoureiros. O Conselho Fiscal é constituído por 3 (três) membros efetivos e seus respectivos suplentes.

As chapas que concorrerão à eleição serão compostas para todos os cargos previstos no Estatuto e poderão ser registradas até 72 (setenta e duas) horas antes da data do pleito, mediante comunicação à Sociedade em Defesa da Baixada Maranhense e em 24 (vinte e quatro) horas antes da data da eleição, deverá ser dada publicidade sobre a composição de todas as chapas inscritas, conforme Edital.

Logo após a proclamação do resultado da eleição da nova Diretoria Executiva e do novo Conselho Fiscal, os membros eleitos serão empossados.

Na oportunidade será promovido o relançamento da 2ª edição do Livro Dicionário do Baixadês, de autoria de Flávio Braga, primeiro presidente da Sociedade, pela relevância do tema para divulgação das peculiaridades da Baixada Maranhense e Exposição dos Livros do Selo FDBM.

A atual presidente da Sociedade, Ana Creusa Martins dos Santos, informou que não concorrerá à reeleição e que deseja boa sorte à nova Diretoria do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM), bem como agradece a colaboração e compreensão de todos.