A Baixada descortina sua singular epopeia

O lançamento do Livro Ecos da Baixada que ocorreu no dia 14 de novembro de 2017, foi um marco na história da literatura maranhense, notadamente nos anais das letras baixadeiras, e revelou-se um evento grandioso para o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense – FDBM.

Importante destacar que o citado Fórum é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, o qual trabalha por sua região e por sua gente, visando chamar a atenção do Poder Público para os graves problemas enfrentados por aquele conjunto de municípios, bem como auxilia as comunidades locais a superarem obstáculos ao seu desenvolvimento.

O evento foi um “sucesso retumbante”, conforme relato de muitos participantes. Segundo o imortal, membro da Academia Maranhense de Letras, Benedito Buzar, foi “o dia em que a Baixada parou o trânsito da Avenida dos Holandeses, em São Luís”, algo inimaginável para os 32 escritores das crônicas e para a maioria dos baixadeiros ali presentes.

Na abertura, Simão Pedro, professor de música e natural de Matinha, interpretou o Hino Nacional e uma Canção em homenagem à Baixada, de autoria de Gracilene Pinto, natural de São Vicente Férrer, cujas crônicas o leitor pode encontrar nas páginas 156 e 191.

Em seguida, o “Poema para a Baixada Maranhense” foi declamado pelo seu autor, Hilton Mendonça, natural de Arari. O belo poema consta no introito da obra. Hilton também empresta o seu talento literário por meio de duas crônicas que poderão ser encontradas nas páginas 143 e 180.

Elinajara Pereira, natural de Bequimão, declamou o poema denominado “Ecos …”, composto por Rafael Marques em homenagem aos Ecos da Baixada e à sua amiga Elinajara, esta possui uma bela crônica, que pode ser encontrada na página 56.

 A Presidente do Fórum da Baixada, Ana Creusa, ressaltou a importância da união dos baixadeiros em prol da Baixada, e destacou que o Fórum é composto de pessoas com tendências e preferências, teorias, modelos e concepções políticas diferentes. Porém, o que os une é o sentimento único de amor à Baixada, que os torna irmãos. Os textos de Ana Creusa estão nas páginas 67 e 160.

Em sua fala, o primeiro Presidente do Fórum da Baixada, idealizador e organizador da obra, Flávio Braga, natural de Peri-Mirim, agradeceu aos ecoerios, como carinhosamente são chamados os cronistas, e ainda discorreu sobre a importância da obra Ecos da Baixada para região. As belas crônicas de Flávio estão dispostas nas páginas 83 e 98.

O Superintendente do Sebrae, João Martins, natural de Bequimão, demonstrou apoio ao Fórum da Baixada, do qual é filiado. Em sua fala, destacou a importância da obra “Ecos da Baixada”, a qual ajudará a Baixada a ecoar longe, inclusive em Brasília e outros recantos do Brasil, quiçá do exterior.

O Presidente da Academia Maranhense de Letras, brincou que os ecos da Baixada chegaram a Itapecuru, sua terra natal, e que a Baixada parou o trânsito de uma das principais avenidas de São Luís.

Natalino Salgado, com seu talento peculiar, brindou os baixadeiros com a crônica “A Baixada Maranhense e sua Vocação para a Grandeza”, que pode ser encontrada à página 35.  Como representante dos ecoeiros, saudou a todos. Em seguida, nos brindou com um texto dedicado a seu pai, matéria que evidencia o amor do seu genitor pela a sua bela Cururupu.

Em seguida foi servido um coquetel que, como se diz na Baixada “não deu para quem quis”.

Foi gratificante ver tantas pessoas disputando autógrafos, tirando fotos e fazendo selfies com os ecoeiros, numa verdadeira pororoca de emoções, como disse o ecoeiro Manoel Barros, natural de São João Batista, ao descrever o festival de emoções, envolvidas em todo o processo de lançamento do livro Ecos da Baixada.

Eis que a Baixada descortina sua singular epopeia, por meio dos Ecos da Baixada!!!

Texto de Ana Creusa, presidente do FDBM e cronista do livro. Revisão de Hilton Mendonça, escritor, compositor e cronista do livro.

 

ACHADOS PRÉ-HISTÓRICOS DOS POVOS DA BAIXADA

Na manhã do dia 11 de janeiro de 2018, o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense – FDBM visitou o Laboratório de Arqueologia da UFMA, em companhia do forense Prof. Mestre Manoel Barros e do aluno bolsista do Curso de História Flaviomiro Mendonça, que apresentou aos presentes, parte do grande acervo do Laboratório de Arqueologia, que é composto de peças de povos pré-históricos que habitavam em estearias, que são sítios arqueológicos específicos da Baixada Maranhense.

O acervo é composto por cerâmicas (vasilhames, estatuetas, pratos, cálices, peças de tecelagem) e ferramentas de pedra. Segundo explicou Flaviomiro Mendonça, as estearias foram habitações coletivas de povos antigos da Baixada, construídas no leito dos rios, fixadas por meio de estacas.

Foram encontradas urnas funerárias que, segundo os achados arqueológicos, os mortos primeiramente eram enterrados em covas comuns e depois apenas os ossos eram depositados em urnas de acordo com o tamanho do esqueleto.

Também foram coletados vários restos de madeira utilizados na construção das estearias. Esses fragmentos já foram catalogados e serão objeto de estudo em Universidade dos EUA, a fim de identificar a variedade da madeira.

Na oportunidade, o Prof. Manoel Barros discorreu sobre a importância do baixadeiro Raimundo Lopes para a arqueologia da Baixada.

Os forenses ficaram impressionados com a quantidade de informações que aquele laboratório possui sobre os ancestrais dos baixadeiros.

Todos saíram com a certeza de que precisam conhecer melhor essa preciosidade histórica da Baixada Maranhense, sob a guarda profissional e atenciosa do Laboratório de Arqueologia da UFMA.

 

 

O bloco Piaba Maluka e o FDBM: uma história de tradição e sucesso.

O bloco Piaba Maluka foi criado há mais de 10 anos pela família Braga, segundo afirmou Maninho Braga na confraternização do FDBM, o bloco foi criado como uma forma de identificação dos familiares em meio aos demais foliões no período carnavalesco. O nome do bloco é uma homenagem ao peixe mais conhecido e mais apreciado da Baixada Maranhense e principalmente de Peri-Mirim, município de origem da família genitora do bloco. Ao longo dos anos, o bloco foi ganhando cada vez mais adeptos e com a criação do FDBM em 2015, o Piaba Maluka passou a ser  mais uma atividade de integração entre os irmãos baixadeiros, se tornando o principal pré-carnaval que reúne gente da região na capital do Estado.  Este ano, a folia carnavalesca acontecerá no dia 27 de Janeiro, a partir das 14 horas na AABB, no Calhau. O abadá que traz como tema a copa do mundo e a campanha #DiquesDaBaixadaJá, está sendo comercializado ao preço de R$ 20,00,  e quem tiver interesse em adquirir é só entrar em contato com Leonardo Cardoso pelo WhatsApp 98737-2390 e fazer a encomenda.

Não perca essa grande festa, venha participar conosco!

 

Com humildade e trabalho, que venha 2018

O Fórum em Defesa da Baixada Maranhense (FDBM) é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, acima de quaisquer interesses pessoais dos seus associados, criada para ser um canal de interlocução com as diversas esferas do Poder Público, a fim de ajudar na superação das necessidades históricas da Baixada Maranhense.

Constituído em 16 de maio de 2015, o FDBM rege-se pelo seu Estatuto Social, observando, ainda, os preceitos da Constituição Federal, sobretudo os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

Nos dois anos e meio de existência, o FDBM coleciona desafios e conquistas. O ano de 2017 pareceu pequeno para tantas atividades. Ano em que forenses perderam entes queridos e nossa sociedade chorou junto, mas demonstrou solidez para seguir em frente, consolidando a sua missão de trabalhar em prol da Baixada.

Segue o resumo das atividades de 2017:

  • 04/01 – Visita à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social – SEDES, a fim de obter informações sobre o Projeto Diques da Produção, ocasião em que tomou conhecimento do cronograma e constatou a organização e transparência do processo;
  • 10/01 – Reunião da Câmara Temática da Educação, discussão sobre a implantação de Academias de Ciências, Letras e Artes nos Municípios da Baixada, em que ficou definido a minuta de Estatuto das academias e definida reunião com o município de Matinha;
  • 05/02 – Pré-carnaval dos baixadeiros, apresentação do Bloco Piaba Maluka, na AABB, com o enredo “Diques da Baixada Já”;
  • 12/02 – O FDBM repercute matéria veiculada no Jornal O Imparcial, de autoria de Flávio Braga, em que esclarece as razões pelas quais o Projeto Diques da Baixada é a principal bandeira de luta do Fórum da Baixada;
  • 18/02 – O FDBM repercute o artigo “A Penúria da Rica Baixada” publicada no Jornal O Imparcial, de autoria de Flávio Braga;
  • 11/04 – O FDBM repercute e parabeniza a eleição do forense Dr. Natalino Salgado, que foi eleito membro efetivo da Academia Nacional de Medicina;
  • 26/04 – Membros do FDBM visitam empreendimento em Itans – Matinha;
  • 21/06 – Reunião com o Senador Roberto Rocha, em que o parlamentar avisou aos forenses que a Codevasf entrou com o processo de contratação de cerca de R$ 7,4 milhões em serviços voltados para o projeto, sendo R$ 3,6 milhões para a elaboração do Estudo de Impacto Ambiental e de seu respectivo relatório e 3,8 milhões para os serviços de levantamento cartográfico e o início das obras está previsto para o segundo semestre de 2018;
  • 04/07 – Reunião sobre a implantação da Academia de Artes, Ciências e Letras do Município de Matinha, em que foram definidas as datas de cada ação;
  • 06/07 – O FDBM repercute o artigo de Nonato Reis “Baixada Maranhense e o Instituto Histórico”, com a perspectiva de incluir em seu planejamento ações para implantação do instituto;
  • 20/07 – Reunião no Palácio dos Leões sobre Edital da FAPEMA sobre a cadeia produtiva da mandioca e da meliponicultura;
  • 29/07 – Participação na implantação da Academia Matinhense de Artes, Letras e Cultura – AMCAL. O Fórum da Baixada sente-se orgulhoso em fazer parte dessa conquista;
  • 19/08 – Assembleia Geral do Fórum, para eleição da nova Diretoria, com mandato para o biênio 2017/2019;
  • 22 a 24/08 – Participação no III Congresso Maranhense de Consórcios Públicos Intermunicipais, realizado no auditório Fernando Falcão, da Assembleia Legislativa do Maranhão, promovido pela Federação Maranhense de Consórcios Públicos Intermunicipais (Femaci) e demais parceiros;
  • 30/08 – Reunião de Diretoria, para definição de nivelamento, ações e projetos para o ano em curso e regras para os grupos;
  • 06/09 – Reunião com o Superintendente da Codevasf, para tratar da chegada de técnicos de Brasília, para fazer vistoria in loco de áreas de inserção dos Diques da Baixada;
  • 11/09 – Reunião com técnicos da Codevasf, para definir vistoria aos municípios de Bacurituba e Cajapió, em que o Fórum da Baixada enviará expedicionários;
  • 12 a 15/09 – Expedição do Fórum às áreas de inserção dos Diques da Baixada, participaram os forenses Antônio Valente e Expedito Moraes, acompanhando técnicos da Codevasf aos municípios de Bacurituba e Cajapió;
  • 25/09 – Visita ao Gabinete do Deputado Baixadeiro Raimundo Cutrim (PCdoB), o parlamentar será o autor do Projeto de Lei que tornará de Utilidade Publica 
  • 17/10 – Reunião de Diretoria, para fins de relatório dos expedicionários, análise de conjuntura e outros informes;
  • 25/10 – Reunião específica para tratar da expedição à área de inserção dos Diques da Baixada em Viana;
  • 27/10 – Aprovada a Lei Estadual nº 10.704/2017, que o considera de utilidade pública o Fórum da Baixada Maranhense;
  • 30/10 – Aprovação do Projeto de Lei Municipal nº 217/2017 que considera o Fórum da Baixada de utilidade pública;
  • 03/11 – Visita à Cooperativa Agroecológica dos Meliponicultores da Baixada Maranhense – COAMEL, com sede em Peri-Mirim, constatando que o empreendimento possui instalações adequadas, carecendo de investimento para o funcionamento adequado;
  • 14/11 – Lançamento do Livro Ecos da Baixada, o evento foi antecedido de muitas entrevistas dos ecoeiros em rádios, jornais e televisão, bem como a publicação de artigos na imprensa. Conforme relatos, foi o dia que “a Baixada parou a Avenida dos Holandeses;
  • 18/11 – Participação no Empório Social, na Praça da Árvore no Cohatrac – São Luís, em que se discutiu a participação da sociedade no cuidado com os bens públicos;
  • 19/11 – Expedição para acompanhar a X Expocapril em Bequimão, com o apoio do Sebrae, em que assistimos a aulas de empreendedorismo, trato de caprinos e ovinos, bem como visitamos a construção da estrada e ponte Central -Bequimão, em companhia de Tonho Martins. Sendo considerada por todos, como uma das melhores expedições;
  • 24/11 – Participação na Semana Escolar sobre Revitalização dos Rios, evento organizado pela Codevasf;
  • 02/12 – Expedição para lançamento do Livro Baixada em São João Batista, com a presença de eocoeiros do município e visita ao Porto da Raposa;
  • 04/12 – Participação no lançamento dos livros Serões da Baixada no Maranhão e nas Asas de um Colibri, de Gracilene Pinto, que utilizam o selo FDBM;
  • 06/12 – Reunião de trabalho para a construção do site do Fórum da Baixada;
  • 08/12 – Participação na AgriTEC de Cururupu, com passagem pelo Banco do Brasil de Mirinzal, em que o Gerente Wilson Penha adquiriu o Livro Ecos da Baixada para disponibilizar aos funcionários;
  • 15/12 – Confraternização dos Forenses, sendo considerada uma “noite mágica”, com boa música e homenagem aos forenses: Antônio Valente, Flávio Braga, Nélio Júnior, Luiz Moraes e Valmir Abreu, às instituições parceiras (Sebrae e AMCAL), aos radialistas Jersan Araújo e Carlos Henrique, aos casais forenses: Andreia e Flávio, Concita e José Maria, Estela e Ferreira, Binha e Maninho, Marlilde e Alexandre e Zezé e Léo; Condecoração da Rainha das Expedições, Leuzanira Furtado e solenidade de filiação de novos forenses;
  • 18/12 – Participação no I Encontro de Fóruns Regionais de Secretários de Municipais de Agricultura, em que se discutiu a elaboração de uma carta, a fim de consolidar a luta pela municipalização da Agricultura;
  • 22/12 – Atendendo a convite, participação na festa de confraternização do Senador Roberto Rocha, ocasião em que foi repassado um vídeo com informações sobre os Diques da Baixada;
  • 23/12 – Divulgação de que o site do Fórum está em teste: http://fdbm.org.br

E assim concluímos mais um ano, que possamos enfrentar os desafios do ano vindouro com união, coragem, coerência, tendo como norte os princípios da igualdade, da fraternidade e da Justiça.  

Feliz 2018 para todos.

 

Texto: Ana Creusa Santos 

 

 

 

 

 

 

CONFRATERNIZAÇÃO DO FDBM 2017

Na última sexta-feira dia 15, aconteceu em São Luís a confraternização do Fórum em Defesa da Baixada Maranhense – FDBM, veja as fotos aqui com o objetivo de promover a interação entre os irmãos baixadeiros, e valorizar o trabalho daqueles que durante todo o ano dedicaram várias horas de seu tempo para a esta entidadade. Tendo à frente do cerimonial a Primeira-Secretária Elinajara Pereira com o auxílio da Presidente Ana Creusa Santos, a festa que teve várias homenagens e condecorações contou com o cantor Pinheirense Fernando Pessoa como a atração musical da noite.  As instituições homenageadas foram o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), o qual o Superintendente João Martins estava representando,  e a AMCAL (Academia Matinhense de Ciências, Artes e Letras) que teve como representantes o Presidente Cesar Brito e a Vice-Presidente Edleuza Brito. Já os homenageados com comenda foram os forenses Flávio Braga, Antônio Valente, Luiz Morais, Nélio Júnior e Valmir Abreu. O troféu imprensa foi dedicado a Jersan Araújo (Jornal Pequeno) e Carlos Henrique (Galinho, da Rádio Educadora), por serem profissionais que sempre foram vozes em favor da Baixada Maranhense.  Este ano, o FDBM prestou homenagem aos casais forenses, pessoas que juntos dividem o amor pelas causas da região. Os homenageados foram , Andreia e Flávio,  Concita e José Maria, Estela e Ferreira, Binha e Maninho, Marlilde e Alexandre, Mariana e Lolico, Zezé e Leonardo. Em seguida, houve a condecoração a Leuzanira Furtado, que recebeu o título de Rainha das Expediçõese será a responsável pelo calendário das expedições de 2018. Por fim, houve a apresentação dos novos cadastrados ao FDBM com o lema: “Baixada, verás que um filho teu não foge à luta”. Encerrado o cerimonial, foi servido um delicioso jantar e os forenses se confraternizaram alegremente. Confira aqui alguns depoimentos de quem esteve na confraternização. 

OS PROJETOS DO FÓRUM DA BAIXADA

Fórum Em Defesa Da Baixada Maranhense – FDBM trabalha para auxiliar a Baixada e sua gente a chamar a atenção do poder público para seus graves problemas, bem como auxiliá-los na busca de soluções criativas nas comunidades em que se inserem. Os problemas são muitos, mas há soluções são simples e viáveis, como disse o Dr. Flávio Braga, que é um dos idealizadores do Fórum e primeiro presidente do Fórum da Baixada.