ACHADOS PRÉ-HISTÓRICOS DOS POVOS DA BAIXADA

Em 17 de janeiro de 2018 20:16

Na manhã do dia 11 de janeiro de 2018, o Fórum em Defesa da Baixada Maranhense – FDBM visitou o Laboratório de Arqueologia da UFMA, em companhia do forense Prof. Mestre Manoel Barros e do aluno bolsista do Curso de História Flaviomiro Mendonça, que apresentou aos presentes, parte do grande acervo do Laboratório de Arqueologia, que é composto de peças de povos pré-históricos que habitavam em estearias, que são sítios arqueológicos específicos da Baixada Maranhense.

O acervo é composto por cerâmicas (vasilhames, estatuetas, pratos, cálices, peças de tecelagem) e ferramentas de pedra. Segundo explicou Flaviomiro Mendonça, as estearias foram habitações coletivas de povos antigos da Baixada, construídas no leito dos rios, fixadas por meio de estacas.

Foram encontradas urnas funerárias que, segundo os achados arqueológicos, os mortos primeiramente eram enterrados em covas comuns e depois apenas os ossos eram depositados em urnas de acordo com o tamanho do esqueleto.

Também foram coletados vários restos de madeira utilizados na construção das estearias. Esses fragmentos já foram catalogados e serão objeto de estudo em Universidade dos EUA, a fim de identificar a variedade da madeira.

Na oportunidade, o Prof. Manoel Barros discorreu sobre a importância do baixadeiro Raimundo Lopes para a arqueologia da Baixada.

Os forenses ficaram impressionados com a quantidade de informações que aquele laboratório possui sobre os ancestrais dos baixadeiros.

Todos saíram com a certeza de que precisam conhecer melhor essa preciosidade histórica da Baixada Maranhense, sob a guarda profissional e atenciosa do Laboratório de Arqueologia da UFMA.

 

 

O bloco Piaba Maluka e o FDBM: uma história de tradição e sucesso.

Em 9 de janeiro de 2018 20:45

O bloco Piaba Maluka foi criado há mais de 10 anos pela família Braga, segundo afirmou Maninho Braga na confraternização do FDBM, o bloco foi criado como uma forma de identificação dos familiares em meio aos demais foliões no período carnavalesco. O nome do bloco é uma homenagem ao peixe mais conhecido e mais apreciado da Baixada Maranhense e principalmente de Peri-Mirim, município de origem da família genitora do bloco. Ao longo dos anos, o bloco foi ganhando cada vez mais adeptos e com a criação do FDBM em 2015, o Piaba Maluka passou a ser  mais uma atividade de integração entre os irmãos baixadeiros, se tornando o principal pré-carnaval que reúne gente da região na capital do Estado.  Este ano, a folia carnavalesca acontecerá no dia 27 de Janeiro, a partir das 14 horas na AABB, no Calhau. O abadá que traz como tema a copa do mundo e a campanha #DiquesDaBaixadaJá, está sendo comercializado ao preço de R$ 20,00,  e quem tiver interesse em adquirir é só entrar em contato com Leonardo Cardoso pelo WhatsApp 98737-2390 e fazer a encomenda.

Não perca essa grande festa, venha participar conosco!